& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Volta de Arana depende de 1ª parcela após recusa de trocas

 
       
 

o Corinthians ainda tenta repatriar o lateral-esquerdo

 
  Por:

Voz da Fiel

04/02/2019 07:46:41  
       
 
 
 
       
   Volta de Arana depende de 1ª parcela após recusa de trocas   
  Foto: Reprodução/UOL  
       
  A negociação para o retorno do lateral-esquerdo Guilherme Arana ganha novos capítulos a cada dia. Após Corinthians e Sevilla, da Espanha, reativarem a negociação, o desfecho positivo para o alvinegro depende do pagamento da primeira parcela para conseguir comprar o defensor.

Os dois clubes acertaram o valor da transferência: 8 milhões de euros (R$ 34,3 milhões) por 90% dos direitos econômicos do lateral, mas o Sevilla não abre mão de receber a primeira parcela em 2019.

O presidente Andrés Sanchez prometeu buscar o "valor de entrada" para sacramentar a negociação, mas não obteve êxito até o fim da última semana.

O desfecho do caso se resume ao pagamento da primeira parcela, pois o Corinthians rejeitou envolver dois jogadores pedidos pelo Sevilla: o zagueiro Léo Santos e o meia Gustavo Mantuan, uma das revelações do Alvinegro na Copa São Paulo de Futebol Júnior.
 
      
 

 
  Léo Santos seria trocado em definitivo por Arana sem compensação financeira. A recusa pode parecer absurda, mas os dirigentes do Corinthians consideram o jovem zagueiro rentável, com potencial para ser negociado com grandes clubes da Europa.

Nem a falha de Léo Santos na final da Copa do Brasil, quando o zagueiro perdeu a bola para Rafinha e viu o meia Robinho, do Cruzeiro, abrir o placar na Arena, diminuiu o status do defensor no clube paulista.

Gustavo Mantuan, por sua vez, entraria na negociação para abater boa parte do valor total da transação, mas o Corinthians não aceitou, pois considera o jogador uma de suas grandes promessas. Em 2018, por exemplo, ele fez grande temporada nosub-17, com direito a um gol do meio-campo e um de bicicleta.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Samir Carvalho (UOL)