Aqui é o lugar onde a Fíel Torcída é ouvída de verdade

       
 

Primo de Love brilha na Espanha e mira dupla do amor no Corinthians

 
       
  Segundo Leo Burlá (UOL),

atuando pela 4ª divisão da Espanha, Rodrigo Love diz que faria dupla interessante com o primo famoso

 
  Por:

Voz da Fiel

13/03/2019 11:51:07  
       
 
 
 
       
     
  Foto: Reprodução/Internet/Voz da Fiel  
       
  A responsabilidade pelos gols está embutida no "sobrenome". Mas Rodrigo Love, primo do atacante que leva no nome o mesmo apelido de Vágner, parente que veste a camisa no Corinthians.

Ainda longe de muita badalação, o jovem de 22 anos defende a camisa do pequeno Moraña, da 4ª Divisão da Espanha, contudo, está seguindo a linhagem da família. Com 20 gols em 16 jogos, Rodrigo conduz o time na luta pelo acesso (o time é vice-líder) e está a apenas uma bola na rede de liderar a tabela de artilheiros.

Na pequena cidade da região da Galícia, o carioca de Bangu admitiu ter uma queda pelas cores do Flamengo, mas revelou que o sonho é mesmo atuar ao lado do parente famoso com a camisa do Timão.

"O Flamengo é um time que eu gosto muito, mas o Corinthians ganhou um espaço muito grande no meu coração. Faríamos uma dupla muito interessante, seria a dupla do amor".
 
      
 
 
 
  Se a realidade ainda está distante de São Paulo, Rodrigo diz que as aulas intensivas com o "primo-professor" são frequentes. No último fim de semana, o atacante do Moraña marcou três vezes contra o Lama SD, sendo que um deles foi de bicicleta. Esse foi o terceiro hat-trick do brasileiro no ano, o que tem mexido em sua rotina na pequena cidade de 5 mil habitantes.

"Estou aqui desde agosto do ano passado, é um povo muito acolhedor. Sou de Bangu (um dos bairros mais quentes do Rio), então sofri um pouco com o frio no início, mas agora estou totalmente adaptado. O pessoal me chama de fenômeno na rua, para para conversar no supermercado, academia e pede para tirar fotos", festejou Love.

O bom momento na Espanha chega após muitas tentativas pelo Brasil e mundo afora. Cria do futsal do Bangu, o jogador passou pelas bases de Nova Iguaçu, Fluminense, Audax, XV de Piracicaba e Casas da Noruega, projeto social que lhe deu a chance de atuar em um time amador no país da Escandinávia.

Rodrigo diz que ser primo do ídolo corinthiano traz pressão adicional, mas que o orgulho supera esse peso extra por ter de ser o herdeiro do centroavante que já defendeu a seleção brasileira. A comparação já vem de muito longe:

"Já me apelidaram de Love assim que descobriram que eu era primo do Vágner, isso no tempo de futsal ainda. Tem de manter a tradição da família, não é?"

No próximo domingo, Rodrigo entra em campo para encarar o Caldas e seguir justificando a fama que vem quase de berço. A responsabilidade de carregar consigo o DNA de artilheiro só será vencida com bolas na rede.