& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Justiça condena Corinthians a pagar indenização de 28 anos de aluguel à Prefeitura

 
       
 

o valor a ser quitado pelo Timão ainda será calculado, mas clube irá recorrer

 
  Por:

Voz da Fiel

05/04/2019 15:31:04  
       
 
 
 
       
   Justiça condena Corinthians a pagar indenização de 28 anos de aluguel à Prefeitura   
  Foto: Reprodução/Internet/Voz da Fiel  
       
  O Corinthians foi condenado pela Justiça a pagar uma indenização à Prefeitura de São Paulo referente a 28 anos de aluguel de parte do terreno do Parque São Jorge, sede social do clube.

O valor que o Corinthians terá de pagar ainda precisa ser calculado. Cabe recurso, e o Timão promete ingressar com medidas em instâncias superiores.

A decisão judicial foi tomada na última semana pelo juiz Josué Vilela Pimentel, da 8ª Vara de Fazenda Pública. Ele anulou um decreto de 1991, quando a então prefeita Luiza Erundina concedeu permissão de uso das áreas localizadas no bairro do Tatuapé por tempo indeterminado ao Corinthians, sem a necessidade de pagamentos.
 
      
 

Justiça condena Corinthians a pagar indenização de 28 anos de aluguel à Prefeitura

 
  Desde 2001 o Ministério Público move ação contra o Corinthians alegando invasão a quatro terrenos municipais, que somam mais de 35 mil m².

O Timão argumenta que, com a retificação do leito do Rio Tietê, áreas muito valiosas do clube foram alagadas. Então houve uma "permuta oficiosa" com áreas públicas. Segundo a defesa corinthiana, "com muito custo, financeiro e laborioso, o clube transformou um pantanal em solo bom, nele edificando e, assim, evitando favelamento e deterioração".

Já a promotoria entende que "a utilização gratuita dos imóveis gera enriquecimento ilícito ao permissionário, que não suporta qualquer encargo e não remunera o poder público pelo uso do imóvel."
 
 

 
  Segue a nota oficial emitida pelo clube

O Sport Club Corinthians Paulista informa que aguarda a publicação da decisão no Diário Oficial sobre o Decreto Municipal nº 30.003/91 para analisar os recursos judiciais cabíveis, os quais serão oportunamente interpostos a fim de se obter a suspensão dos efeitos da sentença até que o mérito seja analisado novamente pela instância superior.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Globo Esporte