& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Justiça autoriza que Timão parcele dívida para evitar penhora de taça

 
       
 

Timão quitará débito com o Instituto Santanense em sete parcelas; cabe recurso

 
  Por:

Voz da Fiel

26/03/2019 19:32:18  
       
 
 
 
       
   Justiça autoriza que Timão parcele dívida para evitar penhora de taça   
  Foto: Globo Esporte  
       
  O Corinthians obteve uma ordem judicial nesta terça-feira autorizando o parcelamento da dívida do clube com o Instituto Santanense, que ainda pode recorrer. Se cumprir o acordo, o Timão evitará a penhora da taça do Mundial de Clubes de 2012.

Em despacho, o juiz Luis Fernando Nardelli permitiu que o Corinthians quite o débito em sete prestações: uma entrada (que tem que ser dada em até dez dias) e mais seis parcelas mensais.

Mesmo assim, foi mantido o bloqueio de valores que o Timão tem a receber da CBF e de operadoras de cartões de crédito até que o clube pague a primeira prestação do acordo com o Instituto Santanense.

– Obtivemos ordem judicial acolhendo nosso pedido de parcelamento da dívida. Esse parcelamento está previsto na lei para casos semelhantes ao ocorrido e possibilitará a quitação da dívida, sem qualquer risco à taça do Mundial – afirmou Fábio Trubilhano, diretor jurídico do Corinthians.
 
      
 

 
  Em fevereiro, o Corinthians propôs pagar R$ 431 mil à vista e mais seis parcelas de R$ 291 mil, totalizando R$ 2,17 milhões. Na ocasião, o Instituto Santanense recusou a oferta alegando "falta de garantias financeiras".

As partes travam uma disputa judicial desde 2008 e, na última quarta-feira, o Tribunal de Justiça de São Paulo voltou a autorizar a penhora do troféu do Mundial como maneira de indenizar a universidade.

O troféu, que fica exposto no Parque São Jorge, é uma réplica, segundo informou a Fifa. Confeccionada em 2005 por um estúdio de design britânico, a taça tem 50 centímetros de altura, 20 de diâmetro e pesa 5,2 quilos. Cópias perfeitas custam entre R$ 20 mil e R$ 25 mil.
 
 

 
  Entenda o caso:

A disputa judicial começou há mais de dez anos, quando o Instituto Santanense de Ensino acionou o Corinthians na Justiça com o argumento de que o clube dificultava o acesso a alunos e funcionários a um campus que funcionava no Parque são Jorge.

Na primeira decisão, de 2010, o clube foi condenado a indenizar a instituição em R$ 2,48 milhões. Como essa dívida nunca foi paga, o Instituto Santanense continua insistindo. No ano passado, a entidade tentou – sempre sem sucesso – bloquear rendas de bilheterias, da venda de Rodriguinho e até a premiação pelo vice-campeonato da Copa do Brasil.

Até que uma decisão de primeira instância, do juiz Fernando Nardelli, da 3ª Vara Cível de São Paulo, determinou a penhora da taça do Mundial de Clubes conquistado pelo Corinthians em 2012. O Corinthians recorreu ao Tribunal de Justiça e obteve uma liminar que suspendia a penhora do troféu.
 
 

 
  Na ocasião, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, reclamou de que se tratava de uma "ação midiática" da instituição que processa o clube.

Após a obtenção dessa liminar, em novembro do ano passado, diretores do clube e da faculdade chegaram a dar uma entrevista coletiva juntos, na qual disseram que as desavenças tinham ficado para trás. Mas o mérito daquele recurso do Corinthians foi julgado na última semana, e a decisão foi por manter a penhora.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Bruno Cassucci (Globo Esporte)