Aqui é o lugar onde a Fíel Torcída é ouvída de verdade

       
 

Há 74 anos, Cláudio estreava pelo Corinthians

 
       
  Segundo o Corinthians,

o ponta direita é, até hoje, o jogador que fez mais gols com a camisa do Timão

 
  Por:

Voz da Fiel

14/03/2019 15:14:31  
       
 
 
 
       
     
  Foto: Corinthians  
       
  Nesta quarta-feira (14), há exatos 74 anos, Cláudio estreava pelo Corinthians contra o São Paulo, em partida válida pela Taça Cidade São Paulo no estádio Paulo Machado de Carvalho, o Pacaembu. Cláudio tornou-se o maior artilheiro da história do clube do Parque São Jorge, com 305 gols.

Naquela noite, recém-contratado, Cláudio atuava pela ponta direita. Comandada pelo treinador Eugênio Vanni, a equipe corinthiana entrou em campo com Rato (GOL); Ariovaldo (ZAG), Begliomini (ZAG), Aleixo (LE); Hélio (VOL), Brandão (VOL), Ruy (MEI), Hércules (PE), Cláudio (PD); Milani (ATA) e Maracaí (ATA).

Em um jogo que acabou empatado em 4 a 4, as equipes deram tudo de si e proporcionaram aos torcedores um grande Majestoso. O placar foi inaugurado pelo Timão aos 14 minutos, com gol de Maracaí. No minuto seguinte, porém, o adversário tricolor empatou a partida com Barrios. Milani tirou o empate do placar a favor dos corinthianos, mas pouco tempo depois, Sastre deixou tudo igual no Pacaembu mais uma vez, ao fim do primeiro tempo.
 
      
 
 
 
  Na volta dos vestiários, o Alvinegro novamente balançou as redes. O meio-campista Ruy, aos 55 minutos, anotou o dele. Logo em seguida, Leônidas da Silva empatou para o São Paulo. Luizinho, de pênalti, virou a partida para o adversário. Faltando três minutos para o fim, Milani estufou as redes e deixou tudo igual: 4 a 4.

Cláudio, o Gerente

Cláudio Christóvam de Pinho, nasceu em Santos-SP, disputou 550 jogos pelo clube do Parque São Jorge, anotou 305 gols e deixou seu nome marcado na história do Corinthians como o maior artilheiro de todos os tempos.

Cérebro e capitão de uma das melhores equipes da história do Timão, atuou no clube entre 1945 e 1957, sendo tricampeão paulista (1951/52 e 1954) e tricampeão do Torneio Rio-São Paulo (1950 e 1953/54), sendo um deles especial: o do IV Centenário de São Paulo, em 1954.