Aqui é o lugar onde a Fíel Torcída é ouvída de verdade

       
 

Fagner diz que rótulo de violento o chateia por causa da família

 
       
  Segundo o UOL,

o lateral do Corinthians falou sobre isso no canal Desimpedidos do YouTube

 
  Por:

Voz da Fiel

29/01/2019 07:58:54  
       
 
 
 
       
     
  Foto: Daniel Vorley/UOL  
       
  Fagner disse que as críticas de que seria um jogador violento incomodam sua família. Em entrevista ao "Bolívia Talk Show", quadro do canal do YouTube "Desimpedidos", o lateral do Corinthians comentou sobre a repercussão de seu estilo de jogo.

"O que me chateia mais é minha família. Às vezes as pessoas não medem que meu filho hoje entende, que minha esposa vê", disse Fagner.

Apesar da chateação por causa da família, Fagner disse não se incomodar quando o chamam de violento. "Eu fico tranquilo porque não sou um cara violento. Quem vê o Fagner dentro do campo e na vida pessoal se assusta. Dentro de campo, eu sou um cara que quero vencer, sou um cara competitivo, vou brigar pela bola como se fosse um prato de comida, como se fosse a última da minha vida. O sustento da minha família sai daquilo ali, então tenho que vencer, ser o melhor a cada dia, a cada treino".
 
      
 
 
 
  Para o jogador, as críticas passam por um pouco de clubismo. Na visão dele, o rótulo não aconteceria se ele vestisse as cores do clube que a pessoal que o critica torce. "Talvez se eu estivesse defendo as cores do clube da determinada pessoa, ela estaria achando legal: nossa, ele é raçudo, o cara briga".

"Essa competitividade que eu tenho, muitas vezes as pessoas entendem de uma outra forma. Eu chego firme. Da mesma forma que se um cara chegar firme em mim, não vou reclamar. Mas se eu chegar firme também, não reclame", continuou.

Rótulo de quarta força

Depois de um 2018 bem abaixo do esperado, o Corinthians trouxe diversos reforços para a nova temporada. Na visão de Fagner, o clube entra em 2019 brigando por títulos. Ainda assim, ele prefere continuar com o rótulo de "quarta força", que embalou a campanha de 2017, quando o clube foi campeão paulista e brasileiro sendo considerado mais fraco que os rivais paulistas.

"Eu prefiro (ser quarta força). Eu não gosto muito de aparecer, então quanto mais a gente for fazendo nosso trabalho quietinho e se consolidar como equipe, para mim melhor. Mas o Corinthians tem tudo para brigar por títulos. Pelas contratações que fez, pela estruturação que está fazendo - não de um time, mas de um elenco. O caminho é esse aí", finalizou.