& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Comissão e Depto Médico destacam período sem lesões musculares

 
       
 

o Timão jogou 19 partidas em 11 semanas e teve 98% elenco à disposição do treinador; Comissão explica procedimentos realizados na pré-temporada

 
  Por:

Voz da Fiel

21/03/2019 14:13:09  
       
 
 
 
       
   Comissão e Depto Médico destacam período sem lesões musculares   
  Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians  
       
  Após garantir a classificação para as quartas de final do Campeonato Paulista, chegar à segunda fase da Copa Sul-Americana e à terceira da Copa do Brasil, o Corinthians disputou 19 partidas (contando um amistoso e um jogo-treino). Um dos maiores desafios da comissão técnica alvinegra foi durante a pré-temporada para prevenir lesões musculares.

Desde o dia 3 de janeiro, preparadores físicos, fisioterapeutas, médicos e fisiologistas tiveram a missão de coletar dados e definir a programação de treinos diferentes para cada atleta. Isso culminou numa alta taxa de disponibilidade de atletas para o técnico Fábio Carille durante o período. Apenas o lateral-direito Michel teve um edema muscular na coxa e se recuperou em uma semana.

"O que mais chamou a atenção nesse início de trabalho, nesse primeiro período, foi a taxa alta de disponibilidade dos jogadores para o treinador. Foram apenas 2% de atletas que ficaram fora de treinos ou jogos. Essa taxa alta de disponibilidade é atribuída à toda estrutura do nosso centro de treinamento, associada a alguns equipamentos adquiridos nessa temporada e a todo o departamento médico, de fisioterapia e preparação física. Foi feito um trabalho, uma metodologia em cima dos resultados das avaliações da pré-temporada, para que pudéssemos fazer um trabalho preventivo com controle individual. Os resultados são obtidos de forma individual para cada jogador e a partir daí é programado um trabalho estratégico para cada jogador para que consigamos uma prevenção mais eficaz", disse o fisioterapeuta Luciano Rosa.
 
      
 

 
  O preparador físico Walmir Cruz, um dos responsáveis por programar todas as atividades do elenco, explica como aplicou todas as informações obtidas a respeito de cada atleta e destaca alguns números do desempenho da equipe ao longo de três competições.

"Em cima dos resultados das avaliações feitas no dia 3 de janeiro, diagnosticamos o que precisaria ser feito. Junto com o departamento de fisiologia, planejamos quais treinos seriam eficazes para condicionar a equipe e trabalhar com a prevenção, que é importante na pré-temporada. Tivemos o primeiro jogo uma semana depois das avaliações. E depois começamos a nos programar para atingir um ponto positivo um tempo à frente. Foram 19 jogos em 11 semanas, o que deu quase um jogo a cada 2,3 dias".

"Fora o deslocamento das viagens.O número de intercorrências musculares foi muito baixo (apenas um até agora). O restante foi traumático (decorrente de pancada). A equipe foi se condicionando e melhorando no aspecto físico. Chegaria um ponto em que a equipe se encaixaria. Por isso, esse retrospecto é bom para nós. Temos cerca de 98% do grupo trabalhando à disposição do treinador. Haja vista que os atletas correm quase 10 quilômetros por jogo. O que dá aproximadamente uma média de 107 quilômetros por partida, número expressivo, se assemelha aos que são obtidos na Champions League também. Estamos no caminho certo", pontua.
 
 

 
  Em 18 jogos oficiais, o Corinthians obteve oito vitórias, sete empates e três derrotas. Em clássicos, foram duas vitórias e um empate. São nove jogos de invencibilidade até então.

Por fim, o fisiologista Antonio Carlos Fedato Filho explica como é feita a coleta de informações para que a comissão técnica possa programar a carga de trabalho de cada jogador.

"O controle de carga é um trabalho dos mais importantes nesse monte de informação. Temos que tentar fazer com que o atleta se machuque menos e deixar o maior número de atletas disponíveis para o treinador. Isso faz com que a qualidade de treino e de jogo melhore. É um conjunto de informações coletadas, desde a parte nutricional, de prevenção de lesões... Tudo isso serve para direcionar um trabalho que será feito pelo atleta. Com essas informações, fazemos ajustes de disfunções físicas".
 
 

Comissão e Depto Médico destacam período sem lesões musculares

 
  "Alguns ajustes de intensidade e volume de treino. Isso faz com que a carga de treino seja a ideal para cada atleta. Isso diminui o risco que o atleta corre de sofrer uma lesão no treinamento ou no jogo. As ferramentas que temos para coleta de dados são: o sistema de GPS acoplado com o monitoramento de frequência cardíaca. Em todas as sessões o atleta é monitorado".

"Em jogo, o sistema de câmera reconhece cada atleta e nos passa dados físicos e técnicos da partida. É uma leitura geral. Com esses dados, trabalhamos para chegar na carga ideal para cada semana e se a progressão de carga é segura, sem picos de aumento de carga que aumenta o risco de lesão. Com esses fatores analisados, diminuem os fatores de risco de lesão", conclui.

No total, o técnico Fábio Carille conta com 38 atletas à sua disposição, sendo que o zagueiro Bruno Méndez e o meia Régis ainda não estrearam, pois chegaram depois da pré-temporada.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Corinthians