& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Cássio pode igualar amigo e virar segundo maior vencedor pelo Corinthians

 
       
 

o goleiro Cássio pode igualar um amigo na tarde deste domingo e se tornar o segundo jogador com mais títulos na história do Corinthians

 
  Por:

Voz da Fiel

21/04/2019 07:39:21  
       
 
 
 
       
   Cássio pode igualar amigo e virar segundo maior vencedor pelo Corinthians   
  Foto: Reprodução/Internet/Voz da Fiel  
       
  Um dos maiores ídolos da história recente do clube, o arqueiro busca o nono troféu como jogador do Timão, marca atingida por Júlio César, ex-companheiro e ainda amigo seu, com uma vantagem no “desempate” para o camisa 12 do atual elenco.

Parceiro de Júlio César entre 2012 e 2014, Cássio já foi campeão paulista três vezes (2013, 2017 e 2018), campeão brasileiro duas vezes (2015 e 2017), campeão da Libertadores (2012), da Recopa (2013) e do Mundial de Clubes (2012), o capitão da equipe de Fábio Carille teve participação direta em todos as conquistas, diferentemente do companheiro.
 
      
 

 
  Excluindo-se a Libertadores de 2012, quando jogou toda a fase de grupos, e o Paulista de 2013, quando eseve em quatro partidas, Júlio não entrou em campo nos outros títulos conquistados ao lado de Cássio. Antes, também não havia atuado no Paulista e na Copa do Brasil de 2009, quando era reserva de Felipe, e atuou em um duelo do Brasileiro de 2005.

O Paulista deste ano, aliás, seria mais um com o carimbo de participação de Cássio. O arqueiro foi fundamental na passagem à semi, com uma defesa de pênalti frente à Ferroviária, e à decisão, com atuação excelente no segundo jogo frente ao Santos. Na primeira final, outro bom jogo, assegurando o 0 a 0.

Caso consiga a taça, o goleiro ficará atrás apenas do meia Marcelinho Carioca, maior campeão da história corinthiana. O antigo camisa 7 possui um total de dez taças (Paulista 1995/97/99/01), Campeonato Brasileiro 1998/99, Copa do Brasil 1995, Mundial de Clubes 2000, Copa Bandeirantes 1994, Troféu Ramon de Carranza 1996.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Tomás Rosolino (Gazeta Esportiva)