& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Cássio e Love seguram críticas e falam com otimismo do Timão

 
       
 

o Corinthians perdeu três dos seis jogos que fez até aqui no Campeonato Paulista

 
  Por:

Voz da Fiel

11/02/2019 08:38:08  
       
 
 
 
       
   Cássio e Love seguram críticas e falam com otimismo do Timão   
  Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians  
       
  A vaga na Copa do Brasil foi conquistada com um empate dramática com o modesto Ferroviário, do Ceará. A situação já incomoda, já preocupa, principalmente pelo o que o time está apresentando em campo.

Apesar do momento complicado, dois dos jogadores mais experientes do grupo alvinegro fazem questão de amenizar as críticas. E mais: vislumbram o futuro da equipe com otimismo.

“Se você me pergunta sobre quarta (contra o Ferroviário) eu concordaria. Um jogo que a gente foi bem abaixo, mas mudamos bastante peças (contra o Novorizontino), teve bastante luta. Eles jogaram atrás, explorando contra-ataque, vai ser assim. Precisamos adaptar mais rápido. Precisamos buscar pontos. Mas não dá para a gente achar que está tudo errado, ficar criticando. Óbvio que temos de melhorar, mas vamos evoluir, cometer menos erros e buscar as vitórias”, falou Cássio, capitão em Novo Horizonte neste domingo.
 
      
 

 
  “Tivemos mais a bola, coisa que no último jogo não tivemos e trouxemos o adversário para cima da gente. Tirando bola parada, o time deles não teve tanta chance. Buscamos o placar, o time se comportou bem até tomar o gol”, corroborou Vagner Love.

O goleiro corintiano, inclusive, usou o argumento de que justamente o fato do atual elenco ser qualificado acaba retardando um melhor entrosamento nesse início de temporada.

“Isso mostra que tem qualidade. Ele está testando algumas peças, não é aquela situação de ter 11 jogadores e mais dois ou três. Temos elenco bom e estamos variando bastante. Tenho total confiança de que a gente vai evoluir, vai crescer, vai buscar as vitórias e vai classificar”, disse o camisa 12.

“A questão é treinamento. Estamos tendo pouco tempo para organizar tudo isso, são muitos jogos, acaba o Carille não conseguindo repetir a mesma equipe. Jogo a jogo, conversando, as coisas vão acontecer”, concluiu Love, em discurso alinhado.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Gazeta Esportiva