& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Carille diz: a gente precisa parar de tomar gols o quanto antes

 
       
 

o técnico defende dupla de zaga e diz que dará sequência para Manoel e Henrique

 
  Por:

Voz da Fiel

21/02/2019 08:09:59  
       
 
 
 
       
   Carille diz: a gente precisa parar de tomar gols o quanto antes   
  Foto: Reprodução/Internet/Voz da Fiel  
       
  Mesmo aliviado com a vitória por 4 a 2, de virada, do Corinthians sobre o Avenida, pela segunda fase da Copa do Brasil, o técnico Fábio Carille não escondeu o incômodo com as falhas defensivas da equipe na temporada.

Irregular neste início de ano, o Corinthians já sofreu 13 gols em 11 partidas.

– Foi um susto mesmo. Procurei colocar o mesmo time que jogou contra o São Paulo. Acredito que essa vai ser a forma de jogar, como foi contra Palmeiras, Racing. Com 9 minutos já estava 2 a 0, aí tive que mudar para ser mais agressivo. Quero destacar o papel da torcida que não vaiou em nenhum momento. A gente já sabe que é assim, estou vendo os mais novos entendendo o que é o Corinthians e a torcida, que é de cobrar, mas nos 90 minutos é de incentivar. A gente precisa parar logo. isso não é só para o sistema defensivo. Eu tenho laterais e volantes que ajudam o setor ofensivo a fazer gols, então todo mundo precisa ajudar a marcar também. A gente precisa parar de tomar gols o quanto antes. Estou trabalhando a bola parada, mas preciso trabalhar mais, porque a bola parada decide – analisou o treinador.
 
      
 

 
  Dos 13 gols sofridos pelo Corinthians, nove saíram em jogadas pelo alto. Foi assim que o Avenida abriu o placar nesta quarta-feira.

Apesar dos problemas na marcação, Carille voltou a bancar Manoel e Henrique como dupla titular de zaga:

– Eu coloquei todos para jogar. Faz parte, é um início, é uma dupla nova... acabei de ver o lance por vídeo, o atacante erra a bola e acaba enganando o Henrique. Faltou cobertura dos lados e acabamos tomando o segundo gol. (A dupla) É o que eu acredito nesse momento, precisamos de mais jogos. Foi contra Palmeiras, contra o São Paulo fez um bom jogo, uma bola que entrou no triângulo não foi culpa da zaga. Enfim... tem que dar confiança também. Se começar a mudar toda hora, não passa confiança. Se daqui a algumas rodadas continuar mostrando problemas de posicionamento, a gente pensa em outras situações – afirmou.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Marcelo Braga (Globo Esporte)