& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Andrés vê Palmeiras favorito, mas nega Corinthians como 4ª força

 
       
 

o presidente do Timão disse que a própria imprensa vê o rival como favorito

 
  Por:

Voz da Fiel

29/03/2019 08:24:35  
       
 
 
 
       
   Andrés vê Palmeiras favorito, mas nega Corinthians como 4ª força   
  Foto: Reprodução/Internet/Voz da Fiel  
       
  Com os quatro grandes classificados, os primeiros confrontos pelas semifinais do Campeonato Paulista serão disputados neste final de semana. O corinthiano Andrés Sanchez, como de costume, coloca o arquirrival Palmeiras como favorito, mas nega o status de quarta força.

“Sempre é o Palmeiras, por tudo que faz”, declarou Sanchez, antes de se dirigir aos jornalistas. “Vocês falam isso. Perguntam para mim pra quê? Então, é o Palmeiras que é o favoritaço”, acrescentou o presidente do Corinthians, algoz do arquirrival na final do ano passado.

Apontado como favorito por Sanchez, o Palmeiras tem o melhor aproveitamento do Campeonato Paulista com 29 pontos ganhos, seguido por Santos (27), Corinthians (23) e São Paulo (21). Questionado se seu clube é o menos cotado entre os semifinalistas, o mandatário negou.
 
      
 

 
  “Quarta força, não. Mas o Corinthians está montando o time novamente. Vamos fazer um jogo bom, um jogo ruim. Dois jogos bons, um jogo ruim. O time ainda não está 100%, então vamos ter dificuldade. Mas, na hora do mata-mata, o Corinthians cresce bastante”, ponderou.

Às 16 horas (de Brasília) deste domingo, o Corinthians inicia uma das semifinais do Campeonato contra o Santos, na arena de Itaquera. O segundo e decisivo confronto está marcado para as 20 horas de segunda-feira (8 de maio), no Estádio do Pacaembu.

Indagado sobre as perspectivas no duelo, Sanchez também não hesitou ao colocar o time praiano na condição de favorito à vaga na decisão. “É o Santos, que tem treinador argentino, treinador de Copa do Mundo”, disse, sobre Jorge Sampaoli. “Tudo isso dificulta”, acrescentou.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Bruno Ceccon (Gazeta Esportiva)