& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Andrés está impressionado com o Racing e diz: estamos um fiasco

 
       
 

o adversário na Copa Sul-Americana chamou a atenção de comissão técnica e direção do Timão

 
  Por:

Voz da Fiel

27/02/2019 17:23:49  
       
 
 
 
       
   Andrés está impressionado com o Racing e diz: estamos um fiasco   
  Foto: Marcos Ribolli/Globo Esporte  
       
  Não importa se o Corinthians passará ou não da primeira fase da Copa Sul-Americana nesta quarta-feira. Enfrentar o Racing, da Argentina, já provocou reflexões na diretoria e na comissão técnica do Timão.

O desempenho do clube de Avellaneda, atual líder do Campeonato Argentino, impressionou aos corintianos.

– Em futebol jogado, nós estamos um fiasco. O que o Corinthians passou contra o Racing... Se o Corinthians não estivesse em uma noite boa, era goleada – afirmou o presidente do Timão, Andrés Sanchez, quando questionado sobre o momento do futebol brasileiro, em entrevista ao SporTV na última semana.

– O Mauro (da Silva, observador técnico do Corinthians) e o pessoal lá foram ver, e os argentinos estão taticamente e tecnicamente muito acima de nós. E mentalmente sempre estiveram. Nós estamos com um negócio de copiar muito os outros aí, aquela coisa de linha de quatro, cara acompanha o lateral até o final. O futebol (brasileiro) está meio estranho – completou o dirigente.

Na partida de ida, a qual Andrés Sanchez se refere, o Racing poupou titulares e vencia o Corinthians, em Itaquera, até os minutos finais do segundo tempo, quando Gustagol empatou o jogo. No duelo de volta, às 21h30 (de Brasília) desta quarta, no estádio El Cilindro, mesmo em busca da classificação, os argentinos mais uma vez irão preservar alguns de seus principais jogadores.

A diferença em campo entre as equipes, que chamou a atenção do Corinthians, contrasta com um abismo nas receitas dos clubes. Em seu último balanço financeiro, fechado em agosto do ano passado, o Racing divulgou uma arrecadação de 1.789 bilhão de pesos argentinos, valor que na cotação da época era correspondente a cerca de R$ 196,8 milhões.
 
      
 

 
  A receita do Corinthians na última temporada foi mais do que o dobro. O Timão ainda não divulgou os dados consolidados de 2018, mas até outubro, quando o último balancete foi publicado, o clube havia recebido R$ 368,5 milhões no futebol e mais R$ 26,3 milhões no clube social, já descontados impostos.

Porém, movimentar mais dinheiro não significa ter mais grana em caixa. Enquanto o Racing acumula superávits consecutivos, o Corinthians enfrenta dificuldades por conta do pagamento de sua arena e fechou o ano passado no vermelho em aproximadamente R$ 18 milhões.

Num passado não muito distante, a situação do clube de Avellaneda era bem diferente. Em 1999, o clube acumulava dívidas de mais de 30 milhões de dólares, e a Justiça argentina decretou a falência da instituição – decisão revertida após pressão da torcida e disputa judicial.

Em dezembro de 2000, a Blanquiceleste S/A, sociedade anônima criada pelo empresário Fernando Martín, passou a administrar o Racing. Nos últimos anos, o clube vem apostando cada vez mais na análise de desempenho e na formação de atletas.

Apesar de reconhecer a qualidade da equipe de Avellaneda, o técnico corintiano, Fábio Carille, pondera que o Racing já está em fim de temporada, enquanto o Timão ainda busca entrosamento e intensidade neste começo de ano.

Para Andrés Sanchez, entretanto, há questões estruturais a serem resolvidas:

– Nós estamos muito mal técnica e taticamente no futebol brasileiro. Esse negócio de concentração todo dia... Nós treinamos bastante. Olha, eu fiquei impressionado com o Racing. Nós temos que melhorar muito, eu acho que começando na categoria de base. Hoje o treinador da base não pode perder e ser mandado embora. O jogador é só físico. Nós estamos perdendo a nossa essência de futebol. Toda hora é (treino em) campo reduzido. Toda hora é não pode não sei o que. Toda hora é o fisiologista falando que se der dez chutes vai ter probleminha. Não pode isso, não pode aquilo. Está muito chato!

Apesar de todas essas questões levantadas pelo presidente corintiano, basta uma vitória simples para o Timão passar de fase. A equipe também se classifica com um empate por dois ou mais gols. Novo 1 a 1 leva a decisão para os pênaltis.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Bruno Cassucci (Globo Esporte)