x
x
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Reunião do Conselho para a votação das contas de 2019 do Corinthians é cancelada

 
       
 

Antônio Goulart, presidente do órgão, diz que há "grande número de conselheiros infectados pela Covid-19"

 
  Por:

Voz da Fiel

07/12/2020 18:24:06  
       
 
 
 
       
   Reunião do Conselho para a votação das contas de 2019 do Corinthians é cancelada   
  Foto: Corinthians  
       
 

A reunião do Conselho Deliberativo que votaria as contas de 2019 do Corinthians foi desmarcada nesta segunda-feira. O encontro aconteceria no dia 10 de dezembro, quinta-feira, mas foi cancelado pelo presidente do órgão, Antônio Goulart dos Reis.

Em comunicado, Goulart alega que, "em razão do grande número de conselheiros infectados ou com suspeita de infecção da Covid-19 após participação na Assembleia Geral do dia 28 de novembro, alguns deles internados", não há condições de se realizar a reunião.

 
      
 

 
 

Goulart cita ainda que muitos conselheiros têm mais de 60 anos, além das medidas mais restritivas impostas em São Paulo pelo governador do estado, João Dória (PSDB), depois do aumento de números de casos mais uma vez.

No último dia 28 de novembro, quase 3 mil sócios do clube foram ao Parque São Jorge para votar. Duilio Monteiro Alves foi eleito o novo presidente do Timão pelos próximos três anos, com novos 200 conselheiros. Todos tomarão posse no dia 4 de janeiro.

 
 

 
 

Goulart foi procurado pela reportagem, mas ainda não se manifestou sobre o cancelamento e nem sobre uma possível nova data para o encontro, já que em menos de um mês o Conselho será totalmente reformulado.

Os adiamentos

A reunião estava marcada para acontecer no dia 20 de outubro, mas havia sido adiada pelo presidente do Conselho para o dia 10 de dezembro. Agora, não tem mais data para acontecer.

 
 

 
 

A decisão foi tomada após uma das chapinhas que concorreu ao pleito divulgar nas redes sociais um documento mostrando como votou cada conselheiro nos últimos dois anos.

Segundo o comunicado oficial divulgado naquele dia, a "divulgação não autorizada da rede social Facebook" gerou um clima de "extrema insegurança e temor". A nota dizia ainda que ocorreu um "elevado número de manifestações via e-mail, aplicativo de mensagens e telefone por parte de pessoas que temem por sua segurança pessoal e de seus familiares".

Assim, a reunião seria remarcada para um nova data após o esclarecimento dos fatos.

 
 

 
 

A reunião

O encontro deveria ter acontecido em abril, mas foi adiado por conta da pandemia do coronavírus.

O Corinthians fechou o ano passado com um déficit de R$ 195,4 milhões. Comissão Fiscal e Conselho de Orientação (o CORI) emitiram pareceres pela reprovação do balanço financeiro de 2019.

Uma eventual reprovação das contas poderia acarretar poucas consequências na prática. A mais séria seria a abertura de um processo de impeachment do presidente Andrés Sanchez, mas o mandato dele se encerrará já no fim do ano.

No entanto, a votação era vista como muito importante nos bastidores, já que poderia representar um "termômetro" da eleição presidencial do clube. Isso porque uma votação massiva pela reprovação das contas indicaria uma perda de força política de Andrés Sanchez e seu grupo – ele apoia a candidatura de Duilio Monteiro Alves.

Por outro lado, uma eventual aprovação do documento significaria enorme vitória da situação.

 
 

 
 

Contas polêmicas

O balanço financeiro de 2019 do Timão apresentou déficit de R$ 177 milhões. Porém, segundo o Conselho Fiscal do clube, o prejuízo foi R$ 18,4 milhões maior por conta de pendências jurídicas não consideradas no documento. Baseada nisso, a maioria dos membros do CORI também votou pela reprovação das contas.

O balanço foi refeito com os novos números e já foi analisado pelo Conselho Fiscal, que manteve a sugestão de reprovação. O CORI ainda pode rever o parecer em encontro previsto para horas antes da reunião do Conselho.

O presidente Andrés Sanchez chegou a protocolar um requerimento que pedia a anulação da última reunião do CORI, mas o pedido foi rejeitado, e o parecer emitido pelo órgão segue valendo.

 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Globo Esporte