x
x
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Mancini vê Cazares ainda distante de ser fantástico no Corinthians como era no Atlético-MG

 
       
 

Equatoriano entrou em campo no segundo tempo: "Participa só de uma parte do jogo"

 
  Por:

Voz da Fiel

15/10/2020 12:40:40  
       
 
 
 
       
   Mancini vê Cazares ainda distante de ser fantástico no Corinthians como era no Atlético-MG   
  Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians  
       
 

Juan Cazares não deve ser titular do Corinthians a curto prazo. O jogador, considerado reforço importante deste elenco, ainda está fisicamente muito abaixo dos demais e, por isso, só tem condições de participar de parte dos jogos.

A análise é do técnico Vagner Mancini. Para o treinador, o equatoriano está "muito distante" do "jogador fantástico" que era no Atlético-MG, quando os dois trabalharam juntos.

– Eu tive a chance de ter o Cazares como atleta no Atlético-MG recentemente. A olho nu, eu te falo que está muito distante do jogador fantástico que foi lá. Há necessidade acelerar processos para que ele nos ajude em campo. Por isso, a opção de deixar no banco para participar de uma parte do jogo – disse o técnico Vagner Mancini.

 
      
 

 
 

Além disso, como a intensidade do início do jogo é maior, há o temor por lesões em caso de uma exigência física maior do que Cazares pode suportar. O processo de adaptação e melhora física do jogador terá de ser acelerado pela sequência intensa de jogos.

– Um tempo seria necessário para ele entrar em forma realmente. Como não temos esse tempo, vamos ter que acelerar o processo dentro de campo. Intenção é usá-lo por dentro, que é onde rende mais. Mas eventualmente pelas pontas, também – completou o treinador.

 
 

 
 

Contratado pelo Timão em setembro, Cazares não entrava em campo desde março. Durante todo o período em que ficou fora dos planos de Jorge Sampaoli, ele não fez treinos técnicos com os companheiros. Realizou só trabalhos de musculação em Belo Horizonte.

No Timão, Cazares atuou por 25 minutos contra o Atlético-GO, 24 contra o Bragantino, 45 diante do Santos, 27 contra o Ceará e, por fim, 24 minutos contra o Athletico-PR.

 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Globo Esporte