x
x
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Gil faz elogios a Mancini e afirma que trocas de técnicos atrapalharam o Corinthians

 
       
 

Zagueiro soma 27 partidas seguidas como titular da zaga e quer mais: "Me preparo para isso"

 
  Por:

Voz da Fiel

21/12/2020 11:52:06  
       
 
 
 
       
   Gil faz elogios a Mancini e afirma que trocas de técnicos atrapalharam o Corinthians   
  Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians  
       
 

Presente em 45 dos 47 jogos do Corinthians em 2020, Gil vive uma sequência de 27 partidas seguidas entre os titulares da equipe. Aos 33 anos, o zagueiro é um dos pilares da defesa alvinegra e está feliz com a possibilidade de o Timão terminar o ano melhor do que se projetava havia alguns meses.

Para ele, as trocas de treinadores (Tiago Nunes, Dyego Coelho e, agora, Mancini) prejudicaram o desempenho do time no ano.

 
      
 

 
 

– Foi um ano muito atípico. Tivemos essas trocas de treinadores, saídas e chegadas de jogadores e eliminações que atrapalharam a nossa sequência, além de uma pausa grande. O sentimento, claro, é de que poderíamos ter feito mais, até pelo que temos apresentado no momento – disse Gil.

– Sempre tivemos consciência de que tínhamos um elenco bom e que poderia dar certo, mas não vieram títulos. O ano está encaminhando para terminarmos de uma maneira melhor, mas temos alguns objetivos no Brasileiro e vamos em busca deles – falou, em papo via assessoria de imprensa.

 
 

 
 

Um exemplo foi no clássico contra o São Paulo, quando a a escalação de Léo Natel como titular no lugar do suspenso Jô foi tema de debate e comum acordo entre todo o grupo. Deu certo.

O zagueiro, inclusive, teceu elogios a Vagner Mancini, a quem chamou de "aberto e tranquilo" não só pela clareza de ideias, mas também por compartilhar e permitir aos jogadores que participem de decisões importantes.

 
 

 
 

– O Mancini é muito aberto e tranquilo em relação a isso. Ele dá liberdade para os jogadores falarem e os mais experientes muitas vezes tomam a frente. Isso é importante, pois divide as responsabilidades. Como ele também foi jogador, ele entende essas situações, mas também já faz parte do estilo de trabalho dele – completou Gil.

Para Gil, a sequência de jogos sem lesões ou qualquer tipo de problema não é uma surpresa. Afinal, o zagueiro se prepara (corpo e mente) para aguentar o tranco. É um dos primeiros a chegar nas sessões de treinamento e faz reforços antes das atividades com o grupo.

– Eu me me preparei para isso. O atleta precisa entender que a carreira dele é curta, então precisa se cuidar sempre. Eu sempre tive esse cuidado, de chegar antes aos treinos, fazer os complementos, e ir embora depois. Descansar, se alimentar bem, ter uma cabeça boa e treinar... São fatores fundamentais para você conseguir atuar em alto nível por muitos anos, evitar lesões e tenho conseguido. Claro, com todo respaldo dos clubes e dos profissionais capacitados por onde passei –comentou o jogador.

 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Globo Esporte