x
x
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Corinthians ainda torce por Coelho e tem dupla de técnicos como carta na manga

 
       
 

Dyego Coelho vai comandar time contra o Bragantino; veja como está a busca por técnico

 
  Por:

Voz da Fiel

03/10/2020 06:38:32  
       
 
 
 
       
   Corinthians ainda torce por Coelho e tem dupla de técnicos como carta na manga   
  Foto: Montagem/Voz da Fiel  
       
 

A diretoria do Corinthians ainda espera por uma reação da equipe com Dyego Coelho e não descarta a continuidade do treinador. Mas os dois últimos tropeços – derrota para o Sport e empate com o Atlético-GO – aceleraram a discussão sobre a contratação de um novo técnico.

Dentre os nomes estudados, Sylvinho e Dorival Júnior são os principais cotados e ganharam mais força na última semana.

Ambos estão sem clube no momento e tiveram boa aceitação da torcida em redes sociais e enquetes realizadas. A aprovação da Fiel é um critério levado em conta pelo Corinthians. Dunga, também desempregado, é outro que está na pauta, mas corre por fora justamente pela rejeição sofrida após ter seu nome especulado.

 
      
 

 
 

Os próximos passos dependem do que acontecer na noite deste sábado, quando o Corinthians enfrenta o Red Bull Bragantino, às 21h (de Brasília), no Nabi Abi Chedid, pela 13ª rodada do Brasileirão.

Uma vitória daria fôlego no cargo a Coelho, que agrada à diretoria alvinegra, em especial ao presidente Andrés Sanchez.

Coelho não tem salário alto, agrada ao elenco, entende as dificuldades financeiras do clube que impedem a contratação de grandes reforços, e sua permanência facilitaria a passagem de bastão de Andrés para seu sucessor – a eleição corinthiana acontece em 28 de novembro, mas o próximo presidente só tomará posse em janeiro de 2021.

 
 

 
 

Ele é visto como alguém que está tentando encontrar saídas e fazendo o possível para que o time melhore com as peças atuais. Mesmo com aproveitamento de 33%, com uma vitória, um empate e duas derrotas, o treinador interino é apontado como "o menor dos culpados".

Porém, a proximidade da zona de rebaixamento e a falta de evolução têm preocupado. Uma nova derrota neste sábado poderia deixar a situação insustentável na visão de alguns dirigentes e poderia resultar na volta de Coelho para o time sub-20.

Neste cenário de indefinição, o Corinthians segue avaliando o mercado. Não houve proposta a ninguém até o momento e ainda não há uma unanimidade interna sobre o nome para assumir o clube.

Caso a opção seja por contratar um treinador, a ideia inicial é oferecer um contrato pelo menos até o fim do Campeonato Brasileiro, em fevereiro de 2021.

 
 

 
 

Sylvinho

É provável que Sylvinho um dia seja técnico do Corinthians, por sua identificação com o clube e o fato de agradar a dirigentes alvinegros. Mas, se vai acontecer ainda em 2020, num futuro próximo ou no médio/longo prazo, é difícil prever neste momento.

Lateral-esquerdo formado na base do clube nos anos 1990, ele fez muito sucesso como jogador na Europa e voltou ao Timão como auxiliar técnico de Tite e Mano Menezes entre 2013 e 2014.

Na Europa, concluiu a licença Pro da Uefa, foi auxiliar de Roberto Mancini na Inter de Milão e, de 2016 a 2019, voltou a fazer parte da comissão de Tite, mas na seleção brasileira. Sua primeira experiência como treinador foi foi no Lyon, da França, por 11 partidas no fim do ano passado.

Sylvinho tem se preparado para voltar a trabalhar e, a amigos próximos, diz que escolherá muito bem o passo seguinte para minimizar erros. Dá preferência a planejamento. Afirma, porém, não dar prioridade a nenhum mercado específico e também não fecha portas para o Brasil.

Aos 46 anos, vivia até dias atrás em Barcelona, na Espanha, mas está de mudança para Porto, em Portugal. Recebeu sondagens de clubes asiáticos, mas por enquanto segue com futuro aberto.

 
 

 
 

Dorival Júnior

Aos 58 anos, Dorival Júnior é visto como alguém capaz de dar uma resposta rápida com esse time. O treinador está sem clube desde a saída do Athletico-PR, no fim de agosto deste ano. Assim como Sylvinho, o técnico não é uma unanimidade interna.

Um dos trunfos de Dorival é o trabalho feito no Flamengo, quando assumiu o time na reta final da temporada de 2018 e conseguiu bons resultados justamente em um período eleitoral do clube.

O técnico terminou sua passagem pelo Rubro-Negro com 70% de aproveitamento, mas não foi mantido pelo presidente Rodolfo Landim, que assumiu no começo de 2019.

Dorival tem duas vitoriosas passagens pelo Santos, onde venceu a Copa do Brasil (2010) e dois Campeonatos Paulista (2010 e 2016) e também já foi técnico dos rivais São Paulo e Palmeiras. O currículo repleto de experiências também pesa a seu favor.

Nesta semana, a reportagem questionou Dorival sobre as especulações com o seu nome. O treinador disse que não havia sido procurado e pediu que a imprensa “deixa Coelho trabalhar”.

 
 

 
 

Dunga

Dunga conta com a admiração do presidente Andrés Sanchez. É visto como alguém "cascudo", capaz de suportar a pressão por resultados e também as cobranças públicas. O nome de Dunga foi analisado pela diretoria logo após a demissão de Tiago Nunes.

Dunga foi perdendo força ao longo das últimas semanas, principalmente depois da receptividade ruim da torcida nas redes sociais.

O último trabalho do treinador foi de 2014 a 2016 na seleção brasileira. Desde então, não comandou mais nenhuma equipe. Sua única experiência em clubes foi em 2013, com o Internacional.

 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Globo Esporte