x
x
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Coelho vê domínio do Corinthians e diz não temer a saída por estar trabalhando bem

 
       
 

Treinador comandou o Timão pela sexta partida e chegou ao terceiro empate consecutivo

 
  Por:

Voz da Fiel

08/10/2020 06:41:49  
       
 
 
 
       
   Coelho vê domínio do Corinthians e diz não temer a saída por estar trabalhando bem   
  Foto: Agência Corinthians  
       
 

Dyego Coelho viu um Corinthians dominante no empate por 1 a 1 com o Santos, na Neo Química Arena, na noite desta quarta-feira, pela 14ª rodada do Brasileirão.

O Santos abriu o placar com apenas 11 minutos, num gol de Madson. O Timão conseguiu empatar nos minutos finais da primeira etapa, com Danilo Avelar.

– Nos dez primeiros minutos, até a gente tomar o gol, realmente estávamos muito mal no jogo. Depois que tomamos o gol, tomamos conta do jogo. Mudamos cinco minutos depois para um 4-3-3, eu trouxe o Mantuan para jogar de médio junto do Roni e Gabriel de entrelinhas. Coloquei Luan do lado esquerdo, Léo Natel no direito e centralizei Jô. O Santos não conseguiu mais jogar, não conseguiu sair jogando como estava no 4-4-2. O que falei aos jogadores é que temos que entrar melhor nos jogos para não ficar sofrendo por 10 ou 15 minutos. Depois do gol do Santos, tomamos conta do jogo.

 
      
 

 
 

– Não é justo o placar pelo o que a gente apresentou, tínhamos que ter saído com a vitória hoje, essa é minha maneira de ver o jogo. Com muito mais volume, com muito mais agressividade. Não me interessa, era o Santos ali, um clássico difícil e jogamos melhor que o Santos.

Durante a coletiva, o treinador lamentou por diversas vezes que a equipe tenha entrado tão desatenta. Ele concordou que seu time tem jogado melhor nos segundos do que nos primeiros tempos.

– Temos que fazer com que as coisas funcionem melhor, que é fazendo gol, entrar mais ligado para não tomar sustos e fazer um jogos melhor de início.

 
 

 
 

– Eles (jogadores) estão tendo o entendimento do trabalho, tanto que melhoram no segundo tempo (...) É fazer com que a bola entre. Volume de jogo e chances nós tivemos. A confiança, parecia até que não tínhamos levado gol, fomos para cima do Santos. O gol veio e continuamos jogando. Não interessa que não veio fulano ou ciclano, era o Santos, uma grande equipe. Um clássico e colocamos volume, chutamos em gol, fomos agressivos. É o que temos de continuar fazendo – indicou.

O Timão deixou o gramado com 65% de posse de bola e 12 finalizações, contra apenas seis do Santos. Foram 501 passes completos, contra 268 do Peixe. O técnico discordou de uma análise feita por um dos jornalistas que apontou uma atuação negativa no clássico.

 
 

 
 

– Ele viu outro jogo, não viu o jogo que a gente viu. Só pode. Não evoluiu? Não entendo. O que fizemos hoje, o volume de jogo que colocamos. Os primeiros 15 minutos foram ruins e depois a gente conseguiu, evolui sim. Laterais por dentro, liberação dos extremas para receber a bola com mais conforto, a zaga não está sofrendo tanto. Não concordo com a análise.

O resultado, porém, foi um terceiro empate consecutivo. Em seis jogos, o time de Coelho venceu apenas o Bahia. Questionado sobre o seu futuro e se tem preocupações com a chegada de um novo técnico, negou:

– Eu estou trabalhando, quem se incomoda com treinador são eles (jornalistas), não eu. Estou trabalhando bem, a rapaziada está trabalhando bem, vamos assim – garantiu.

 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Globo Esporte