& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Timão vê queda do público após reajuste de preços

 
       
 

pouco mais de 34 mil torcedores assistiram ao duelo Corinthians e Independiente

 
  Por:

Voz da Fiel

03/06/2018 10:57:48  
       
 
 
 
       
   Timão vê queda do público após reajuste de preços   
  Foto: Web/Voz da Fiel  
       
  Recorde atrás de recorde e sucesso de público nas arquibancadas. O Corinthians se acostumou com esse cenário em meio às conquistas em campo em 2017 e 2018. O clube, porém, passou viver uma fase mais modesta nos últimos jogos, com queda brusca no número de torcedores presentes até mesmo em jogos importantes.

A nova era coincide com a postura do clube em relação aos preços: o ingresso do setor mais barato passou de R$ 40 para R$ 54 em março passado - esse valor é cobrado dos não-sócios, que recorrem à internet ou à bilheteria.

O mais novo capítulo dessa história se deu na noite da última quarta-feira, quando pouco mais de 34 mil espectadores assistiram à derrota por 2 a 1 para o Independiente-ARG. Semanas antes, novamente pela Libertadores, 31.524 pagantes estiveram na Arena Corinthians para acompanhar a vitória por 2 a 0 sobre o Deportivo Lara-VEN.

A queda fica mais evidente quando o número é comparado à média histórica do Corinthians em jogos da Libertadores em Itaquera. Nas edições anteriores, o clube registrou quase 40 mil torcedores em cada uma das nove partidas disputadas nas edições 2015 e 2016.

No Campeonato Brasileiro a situação é parecida. Campeão com média um pouco superior a 40 mil pessoas por jogo, o Corinthians estreou contra o Fluminense em Itaquera para um público de 28.777 pagantes. Nas finais do Campeonato Paulista, o clube conseguiu encher a casa mesmo com os ingressos mais caros: 43 mil torcedores viram os clássicos contra São Paulo e Palmeiras.
 
      
 

 
  Aumento a partir da Libertadores

O reajuste de preços dos ingressos entrou em vigor em março, justamente na estreia do Corinthians na Libertadores. Naquela oportunidade, o valor da entrada de valor mais elevado passou de R$ 178 para R$ 228, variação de 28%. Nos outros setores da Arena, o aumento chegou a ultrapassar a marca de 30% - para ver a partida atrás de um dos gols (Setor Sul), o torcedor não-sócio passou a desembolsar R$ 72 em vez dos antigos R$ 54.

Essa variação de preço, de 2017 a 2018, ficou acima da inflação do período. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o índice oficial do Brasil fechou o ano passado em 2,95%, ou seja, o ingresso mais barato teria de passar de R$ 40 para R$ 41,18. O valor cobrado é de R$ 54, quase 12 vezes mais.

O reajuste, no entanto, respeitou a inflação quando a temporada 2016 é inserida à análise. O Corinthians decidiu reduzir os valores do ingressos ao fim daquele ano, ainda na gestão Roberto de Andrade. mudando o ingresso mais barato de R$ 50 para R$ 40. Esse valor cobrado em 2016, corrigido pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), corresponderia a R$ 55 hoje.

"O valor médio praticado atualmente é mais baixo do que de outros já cobrados na mesma competição, o que demonstra que a diminuição do público presente à Arena é devida a outros fatores além do preço", disse o Corinthians por meio da sua assessoria de imprensa.

Em 2016, também na Libertadores, o clube decidiu aumentar os valores dos ingressos antes da partida contra o Nacional, nas oitavas de final. Naquela ocasião, o preço da entrada mais barata passou de R$ 50 para R$ 60,de fato mais barato que o atual.

A prática, porém, não se estendeu aos jogos do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil daquele ano. A postura da diretoria corintiana na atual temporada, sob o comando de Andrés Sanchez, é diferente, pois o aumento também ocorreu em jogos de outras competições.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Diego Salgado (UOL)