& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Rodriguinho vê desempenho desabar após convocação

 
       
 

meio-campista Rodriguinho passou em branco nos últimos sete jogos do Corinthians

 
  Por:

Voz da Fiel

15/06/2018 10:31:19  
       
 
 
 
       
   Rodriguinho vê desempenho desabar após convocação   
  Foto: Marcello Zambrana/AGIF  
       
  13 de maio de 2018: Rodriguinho decide mais um jogo para o Corinthians e dá a vitória para o time alvinegro diante do rival Palmeiras. No dia seguinte, Tite anuncia a lista de 23 jogadores da seleção brasileira para a Copa do Mundo.

Cotado para estar na relação do treinador, o meio-campista passou a viver uma fase ruim justamente no jogo seguinte à convocação para o Mundial. Nos sete jogos disputados após a definição de Tite, Rodriguinho passou a ter pouca participação em campo, além de enfrentar uma escassez de gols.

O cenário é completamente distinto ao dos primeiros meses da temporada, quando Rodriguinho se tornou o jogador mais importante do time. O camisa 26, por exemplo, fez gols decisivos contra São Paulo e Palmeiras na reta final do Campeonato Paulista.

No começo do Campeonato Brasileiro, a boa fase se estendeu. Rodriguinho marcou quatro gols nas primeiras três rodadas. Artilheiro do Brasileirão naquela oportunidade, o meia manteve a esperança de ser chamado por Tite - no fim,fez parte da lista de 12 suplentes, divulgada pelo UOL Esporte 11 dias depois do anúncios dos 23.

A má fase de Rodriguinho também coincide com a mudança na forma de o Corinthians atuar. Nos últimos três jogos, o time voltou a atuar com um centroavante de ofício. Com a lesão de Jadson, Roger passou a atuar no setor, com o camisa 26 mais recuado.
 
      
 

 
  Rodriguinho, na antiga formação, ainda com Jadson como parceiro do meio-campo, atuava mais perto da área, com mais chances de concluir ao gol - o número de finalizações corretas caiu, assim como a proporção de passes certos.

Questionado sobre a queda em relação aos números, Rodriguinho admitiu queda nas últimas rodadas, mas disse ver a oscilação como algo coletivo, e não individual.

"Estava muito bem até as últimas cinco rodadas, mas futebol as coisas acontecem muito depressa. Ate esquecem o que passou. O ano tem sido bom e proveitoso, tanto que estou na lista de suplentes da Copa. O trabalho que tem sido feito há dois anos está em evidência, e isso me deixa muito feliz. O momento da queda pode ser pelo fato de que o coletivo não está funcionando tão bem como foi antes. Temos muitos desfalques, mudança de treinador e precisamos de um momento de adaptação. Essa parada será boa para colocar a casa em ordem, treinar bastante e ajustar o que não está bom. Precisamos voltar com força total porque ainda temos mais um semestre muito importante para conquistar mais um título e igualar 2017, que foi muito bom para gente", disse Rodriguinho, durante evento realizado em São Paulo.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: UOL