& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Mesmo com vendas Timão fecha semestre no vermelho

 
       
 

o Corinthians publicou, nesta terça-feira, os balancetes mensais referentes a abril, maio e junho

 
  Por:

Voz da Fiel

31/07/2018 14:16:13  
       
 
 
 
       
   Mesmo com vendas Timão fecha semestre no vermelho   
  Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians  
       
  Depois de revelar um déficit de R$ 2,6 milhões no primeiro trimestre do ano, o clube fechou os seis meses iniciais de 2018 também no vermelho, com resultado negativo de R$ 14,6 milhões.

A diferença entre despesas e receitas acontece apesar de R$ 68,1 milhões provenientes de vendas. O valor inclui quase R$ 30 milhões a mais do que registrado ao final do primeiro trimestre, quando o Corinthians acumulava R$ 38,5 milhões no quesito, referente a negociações fechadas em 2017.

Entre as demais receitas, direitos de TV renderam R$ 97,7 milhões aos cofres alvinegros no primeiro semestre. Patrocínios e publicidades, mais R$ 15,5 milhões; arrecadações de jogos, que são repassados ao fundo da Arena, R$ 31,6 milhões; e premiações e Fiel Torcedor, R$ 9,6 milhões.

Considerando as negociações de jogadores e demais receitas, o Corinthians faturou R$ 22,6 milhões com o futebol, segmento que fechou o semestre no azul, com superávit de R$ 3,3 milhões.

A maior despesa do futebol, claro, foi o gasto com salários, que representaram R$ 91,7 milhões. Os custos com negociação de jogadores, que inclui pagamento de comissão a empresários ou repasse por direitos econômicos de outros clubes, foram de R$ 18,3 milhões. A Arena, por sua vez, registrou R$ 6,2 milhões em "despesas extraordinárias".
 
      
 

 
  O clube social, por sua vez, ajudou bastante no resultado negativo do semestre, com déficit de R$ 17,9 milhões. Foram R$ 14,4 milhões em receitas líquidas, mas R$ 27,2 milhões em despesas operacionais.

Dívida cresce pouco – Além do resultado financeiro do semestre, o Corinthians também apresentou a demonstração de sua dívida, que cresceu na comparação com o último resultado divulgado.

Ao final de 2017, o endividamento alvinegro era de R$ 448,4 milhões; em março de 2018, passou a R$ 475,9 milhões; e agora chegou a R$ 481,8 milhões, em crescimento de quase R$ 6 milhões ou 1,2%.

Na comparação entre os trimestre, contudo, o resultado até pode ser visto como positivo, já que, nos primeiros meses do ano, a subida da dívida foi de mais de 6%.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: ESPN