& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Loss comenta desmanche no Corinthians

 
       
 

após derrota no clássico, Loss comenta desmanche no Corinthians: Tem que se reinventar

Treinador do Corinthians dá suas justificativas depois do jogo e reclama que lentidão nos passes contribuiu para facilitar a marcação do São Paulo

 
  Por:

Voz da Fiel

22/07/2018 07:17:14  
       
 
 
 
       
   Loss comenta desmanche no Corinthians   
  Foto: Reprodução/Internet/Voz da Fiel  
       
  Osmar Loss sentou à mesa de entrevistas coletivas no estádio do Morumbi neste sábado, após a derrota para o São Paulo por 3 a 1, para dar explicações sobre os dois assuntos principais da noite no Corinthians: o jogo ruim que fez no majestoso e a saída de Rodriguinho para o Pyramids, do Egito.

Ainda durante o jogo, a equipe do Egito divulgou a contratação do meia corintiano pelo Twitter. Rodriguinho falou emocionado na zona mista. Mas, ainda assim, na coletiva pós-jogo, Loss falou que não sabia de nada sobre o assunto.

– Em relação ao Rodriguinho, não tem nada, pelo menos, passado para mim. São possibilidades, a gente sabia disso há muito tempo. É um jogador em evidência, artilheiro da equipe na temporada, e a gente tem que se adaptar. Temos o Jadson, tem o Mateus Vital que joga por ali. Vamos transformar a equipe, se perder o Rodriguinho, fazer o mesmo que fizemos com a saída do Balbuena – disse o treinador.

Embora o Corinthians tenha vendido quatro de seus titulares nas últimas semanas – Sidcley, Rodriguinho, Maycon e Balbuena – é o técnico quem tem que lidar com as críticas da torcida na hora de escalar o time.

E elas vieram fortes depois do jogo, sobretudo pela ausência de Pedrinho e Mateus Vital, que ficaram os 90 minutos no banco. Loss falou sobre os dois.
 
      
 

 
  – A gente percebe que ele (Pedrinho) não tem o mesmo rendimento na esquerda que ele tem na direita – disse.

– Percebemos que o Vital tinha uma característica diferente, um jogo mais combinado pelo meio, e a gente percebendo as características dos laterais do São Paulo, entendemos que jogadores com mais profundidade nos dariam mais possibilidades de ter transições mais eficientes. Não funcionou do jeito que a gente esperava – completou.

Loss ainda citou as lesões de Renê Junior, que saiu com um entorse no joelho, e de Pedro Henrique como impedimentos para mudar a forma do time jogar. E reclamou da dificuldade corintiana em trocar passes rápidos como fator determinante para o jogo ruim.

– A gente esperava que trocasse passes mais rápidos. A gente conseguiu tirar a bola em um primeiro momento, mas reteve ela muito, e isso facilitou o mecanismo de subida das linhas do São Paulo. Ficou mais fácil porque o alvo estava muito fixo.

Em quatro Majestosos em 2018, o Corinthains agora acumula duas vitórias (ambas em casa) e duas derrotas (ambas no Morumbi). A primeira vez de Loss. O jogo, que seria uma boa oportunidade para o treinador ganhar moral no cargo, acabou tendo o efeito inverso. Mas ele desconversou.

– É um grande clássico, sim, que tem que ser valorizado, mas são os mesmo três pontos que vamos disputar contra o Cruzeiro. Nós temos que trabalhar para fazer ponto. Isso vai facilitar meu trabalho – disse o treinador.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Bruno Cassucci (Globo Esporte)