& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Léo Santos e Mantuan se dizem acostumados com a pressão

 
       
 

Timão terá muitas mudanças para pegar o Atlético-MG neste sábado, em Itaquera

 
  Por:

Voz da Fiel

01/09/2018 08:31:52  
       
 
 
 
       
   Léo Santos e Mantuan se dizem acostumados com a pressão   
  Foto: Globo Esporte  
       
  O técnico Osmar Loss não divulgará a escalação do Corinthians para o jogo contra o Atlético-MG, neste sábado, às 21h (de Brasília), em Itaquera, pela 22ª rodada do Brasileirão – o que tende a virar um hábito.

Sem Fagner, Douglas e Clayson, suspensos, e com Pedro Henrique e Pedrinho no departamento médico, a tendência é que arme o time com: Cássio, Mantuan, Henrique, Léo Santos e Danilo Avelar; Ralf e Ángelo Araos (ou Gabriel); Mateus Vital, Jadson e Romero; Roger.

Titulares confirmados, Mantuan e Léo Santos deram entrevista coletiva nesta sexta-feira, dois dias depois da eliminação da equipe na Taça Libertadores, com a insuficiente vitória por 2 a 1 contra o Colo-Colo, do Chile. Crias da base, ambos disseram estar acostumados com a pressão no clube.

– Querendo ou não, rola uma pressão quando se está na base. Lógico que no profissional é o triplo, mas já estamos acostumados – disse o zagueiro de 19 anos, que contra os chilenos entrou na partida e fez seu 16º jogo.
 
      
 

 
  Mantuan, com 25 jogos pelo Timão e 21 anos, terá sequência grande pela frente. Ele substitui Fagner por suspensão contra o Galo, e depois enfrenta Ceará, Palmeiras e Flamengo, esse último jogo pela semifinal da Copa do Brasil, já que o titular estará em amistosos da seleção brasileira.

– Sei o tamanho e o peso da responsabilidade. Fagner é um jogador de Copa do Mundo, um cara que se destacou lá e se valorizou. Procuro corresponder com as expectativas – declarou.

Em processo de maturação, ambos já conviveram com erros no profissional. Léo Santos, por exemplo, falhou no gol de Lucas Barrios, na quarta-feira, em lance em que foi deslocado. Mantuan cometeu falhas marcantes em jogos contra São Paulo e Internacional. Que ficam de aprendizado.

– Foi um momento que superei, difícil, não foi fácil. Trabalhamos para que não aconteça, mas certas situações são inevitáveis. Acredito que cooperou para o meu amadurecimento como atleta e pessoa. Procurei tirar coisas boas para o meu crescimento dentro de campo – disse Mantuan.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Globo Esporte