& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Jair entende pressão no Timão e brinca sobre estar prestigiado

 
       
 

o técnico admite desempenho ruim e minimiza declaração do presidente do Timão

 
  Por:

Voz da Fiel

10/11/2018 08:45:09  
       
 
 
 
       
   Jair entende pressão no Timão e brinca sobre estar prestigiado   
  Foto: Bruno Cassucci/Globo Esporte  
       
  O técnico Jair Ventura tratou com naturalidade as declarações do presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, que não quis bancá-lo no cargo em 2019.

Mesmo tendo contrato com o Corinthians até o fim do ano que vem, Jair Ventura disse entender que depende de resultados e mostrou bom humor:

– Todos os treinadores do mundo (estão ameaçados). Depois do que a gente viu que aconteceu no Real Madrid, ninguém está garantido em 2019. Eu ia ficar preocupado se o Andrés dissesse que eu estava prestigiado. Quando fala que está prestigiado... Ou cai no mesmo dia ou no dia seguinte – brincou o treinador.

– O Andrés está sempre aqui, é um cara sincero, falou uma verdade. Ele está no dia a dia, tem o feedback dos jogadores. Nossos números não são bons. Eu sabia das dificuldades quando assumi, não fugi da responsabilidade, como não fujo dos números ruins. Espero melhorar para ter uma pré-temporada, pegar um trabalho do início e vencer títulos – completou o treinador.

Jair Ventura comandou o Corinthians em 13 jogos, com três vitórias, quatro empates e seis derrotas, aproveitamento de 33,3%.
 
      
 

 
  Neste sábado, o Corinthians faz seu último clássico da temporada, diante do São Paulo, às 17h (de Brasília), em Itaquera, em jogo que defenderá um tabu de nunca ter perdido para o rival em Itaquera. Para Andrés, o Tricolor é favorito. Jair, por sua vez, viu os times em igualdade de condições.

– É clássico. Se você ver a tabela, o São Paulo está na parte de cima, nós estamos na parte intermediária. Mas é clássico, teremos casa cheia, 35 mil ingressos vendidos, torcida vai nos empurrar. Espero que a gente esteja atento aos detalhes, que têm nos custado caro nos últimos jogos. Hoje eu só treinei bola parada.

- Foram 46 treinos desde que cheguei aqui e em toda véspera de jogo eu treinei bola parada. Não é falta de treinamento, mas de concentração – opinou.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Bruno Cassucci (Globo Esporte)