VOZ DA FIEL

    Aqui é o lugar onde a Fíel Torcída é ouvída de verdade

       
  Há 28 anos, Corinthians era campeão brasileiro pela primeira vez  
       
  Segundo o Corinthians, a equipe alvinegra venceu o São Paulo nos dois jogos da final para levantar a taça nacional  
  Por: Voz da Fiel 16/12/2018 11:35:32  
       
 
 
 
    
     
  Foto: Corinthians  
       
  No ano passado, o Corinthians se transformou no maior campeão da era do Campeonato Brasileiro ao erguer a taça de campeão pela sétima vez. E neste domingo (16), a primeira página desta história completa 28 anos. Neste mesmo dia, em 1990, o Timão batia o São Paulo, por 1 a 0, no segundo jogo da final do Brasileirão, no Morumbi, e conquistava o seu primeiro título da competição nacional.

Até aquele ano, o Corinthians era o maior campeão paulista com 20 títulos, mas batia na trave para ser campeão brasileiro, como em 1976, na derrota para o Internacional.

Se em 1990 o conjunto alvinegro não se destacava pelos talentos individuais, a entrega e raça dentro de campo era o que tornava aquele time especial. Apesar disso, o começo da competição foi preocupante: derrotas nos dois primeiros jogos e mudança de treinador logo em seguida. O resultado foi uma sequência de 11 jogos de invencibilidade que levaram o Timão ao mata-mata do Brasileirão.

Nas quartas de final, mais preocupação. Tendo o Atlético-MG pela frente, equipe de melhor campanha na primeira fase, o Corinthians saiu perdendo o primeiro jogo em seu mando de campo, mas Neto comandou a virada nos minutos finais e o Alvinegro viajou a Belo Horizonte com vantagem na mala. No Mineirão, o empate por 0 a 0 bastou para o time do Parque São Jorge avançar de fase.

A história se repetiu na semifinal diante do Bahia. Vitória, de virada, por 2 a 1, com protagonismo de Neto, em São Paulo, e empate sem gols na volta, em Salvador.
 
      
 
 
 
  Na decisão, no clássico contra o São Paulo, o Corinthians largou na frente com gol de Wilson Mano após cobrança de falta de Neto. Três dias depois, novamente no Morumbi, o Timão decidiria o título nacional.

Naquele domingo do dia 16 de dezembro de 1990, com mais de 100 mil pagantes no estádio, o Corinthians foi a campo sob o comando de Nelsinho Baptista com Ronaldo; Giba, Marcelo, Guinei e Jacenir; Márcio, Wilson Mano, Neto e Tupãzinho; Fabinho e Mauro.

Boa parte do primeiro tempo foi de sufoco para o Alvinegro, que conseguiu evitar que o São Paulo abrisse o placar precocemente em pelo menos duas oportunidades. Aos poucos o Corinthians foi equilibrando o duelo e chegou a oferecer perigo em chutes de Wilson Mano e Tupãzinho.

Mas na segunda etapa a história foi diferente. Aos nove minutos, Neto acionou Tupãzinho no meio de campo e o talismã não perdeu tempo, já iniciando uma arrancada em direção ao gol adversário. Ele abriu para Fabinho na direita, que limpou seu marcador e devolveu para o camisa 9. Após deixar o marcador para trás aplicando a bola entre suas pernas, Fabinho recebeu novamente para chutar, a finalização ser bloqueada e o rebote se oferecer a Tupãzinho.

O gol é um retrato daquela equipe. Do jeito que dava, se atirando na bola, o jogador dividiu com o goleiro e zagueiro do São Paulo para conseguir empurrar ao fundo do gol. A metade preta e branca do Morumbi explodiu de alegria e emoção junto com o time dentro de campo.

Ainda havia muito tempo até o apito final, mas se a expectativa era um bombardeio do rival, a realidade é que o Corinthians administrou bem aqueles minutos, chegando perto de ampliar o placar. Quando o árbitro encerrou a partida, o Alvinegro deixava de ser um time estadual para ganhar o Brasil e, posteriormente, o mundo.