& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Dez anos simbólicos da história Corinthiana

 
       
 

veja fatos marcantes da nossa história em destaque

 
  Por:

Voz da Fiel

01/09/2018 16:54:12  
       
 
 
 
       
   Dez anos simbólicos da história Corinthiana   
  Foto: Corinthians  
       
  1910: Às 20h30 do dia 1º de setembro, à luz de um lampião, na esquina das ruas José Paulino e Cônego Martins, no bairro do Bom Retiro, o grupo de operários formado por Anselmo Corrêa, Antônio Pereira, Carlos Silva, Joaquim Ambrósio e Raphael Perrone fundaram o Sport Club Corinthians Paulista. Com mais oito rapazes, foi formada a reunião dos primeiros integrantes e sócio-fundadores do Timão, que teve seu nome inspirado na equipe inglesa Corinthian-Casuals Football Club, que fazia excursão pelo Brasil. O presidente escolhido por eles foi o alfaiate Miguel Battaglia, que, já no primeiro momento, afirmou: “O Corinthians vai ser o time do povo e o povo é quem vai fazer o time”. Um terreno alugado na Rua José Paulino foi aplainado, virou campo e foi lá que, já no dia 14 de setembro, o primeiro treino foi realizado diante de uma plateia entusiasmada, que garantiu: “Este veio para ficar!”.

1913: Desde a fundação até 1913, o Timão não usava escudo nas camisas. O primeiro foi feito para a disputa na vaga da Liga Paulista e utilizava apenas as iniciais "C" e "P", de Corinthians Paulista. Até 1939, outros desenhos serviram de escudo nos uniformes alvinegros. A âncora, os remos e a boia surgiram a partir de 1926, quando o clube comprou o terreno onde foi erguido o Parque São Jorge, como alusão aos esportes aquáticos. O distintivo passou a ter leitura e significado, mas apenas integrou as camisas em 1939. Com algumas mudanças de forma com o passar dos anos, o escudo permanece até os dias atuais.

1919: Neste ano, o Corinthians viu o primeiro negro a defender as cores alvinegras: Bingo. Anteriormente o Timão já havia tentado inscrever um outro jogador negro, Davi, mas a Liga Paulista de Futebol na época, rejeitou o pedido. Bingo estreou em 9 de fevereiro de 1919 numa partida amistosa contra a Ponte Preta de Campinas. Mesmo entrando no decorrer da partida em substituição a Garcia, conseguiu deixar sua marca duas vezes na vitória alvinegra por 5 x 0. No jogo seguinte contra um combinado da 2ª divisão, Bingo começou jogando, e marcou o primeiro gol da vitória por 4 x 2. Bingo mostrou-se ser um atacante versátil que chutava bem com as 2 pernas, e tinha faro de gol, tanto que em oito partidas disputadas pelo Timão deixou sua marca em cinco oportunidades. Dizem que o precoce desaparecimento do jogador deve-se a Neco, a grande estrela do time na época, que teria ficado enciumado com o sucesso repentino de Bingo.

1929: No dia 1º de maio de 1929, o Corinthians conseguiu a sua primeira vitória internacional, contra o Barracas, da Argentina. No amistoso disputado no Parque São Jorge, o Timão venceu o time argentino de virada pelo placar de 3 a 1, com gols de Apparício, Rodrigues e Rato, após começar perdendo. Diz a lenda esportiva que foi nesse jogo que o Corinthians ganhou o apelido de Mosqueteiro. Tomás Mazzoni, do jornal "A Gazeta", vibrou com a fibra de mosqueteiros com que os jogadores do Timão jogaram o confronto.

1953: O Coringão venceu pela segunda vez o Rio-São Paulo e levou também a Pequena Taça do Mundo, jogando contra Barcelona (ESP), Roma (ITA) e a Seleção de Caracas, na Venezuela. No primeiro jogo, vitória por 1 a 0 contra a forte Roma, com gol de Luizinho. O segundo adversário foi o Barcelona, no dia 18 de julho. Com gols de Luizinho (2x) e Carbone, o Timão derrotou o Barcelona por 3 a 2. Para fechar o primeiro turno, o Timão enfrentou a seleção local. Cláudio e Carbone definiram mais uma vitória, por 2 a 1.

Com seis pontos em três jogos, o Corinthians começou o segundo turno precisando apenas de uma vitória contra o Barça para se sagrar campeão. Após empate sem gols no o primeiro tempo, o Corinthians abriu o placar aos 17 minutos da segunda etapa e garantiu a conquista da Pequena Taça do Mundo. Para fechar bem a sua participação e confirmar o seu poderio, o Corinthians ganha seus dois últimos jogos: 2 a 0 na seleção de Caracas e 3 a 1 na Roma, terminando com 100% de aproveitamento.
 
      
 

 
  1976: Calcula-se que cerca de 80 mil corinthianos tenham viajado até o Rio de Janeiro para assistir ao jogo em que o Corinthians empatou com o Fluminense por 1 a 1, ganhou nos pênaltis (4 a 1) e classificou-se para a decisão do Campeonato Brasileiro de 1976 contra o Internacional. É, até hoje, um dos maiores deslocamentos pacíficos do homem no mundo.

1984: Nos últimos anos do governo militar, o Brasil apresenta vários problemas. A inflação e a recessão apresentam números altos. Enquanto isso, a oposição ganha terreno com o surgimento de novos partidos e o fortalecimento dos movimentos sociais. Em 1984, políticos de oposição, artistas, jogadores de futebol e milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já, que clamava pela aprovação da Emenda Dante de Oliveira.

Próximo de deixar o Corinthians para jogar no futebol italiano, Sócrates, lider da Democracia Corinthians e ativista político pelo fim do regime militar, bradou que desistiria de rumar ao futebol europeu caso a emenda fosse aprovada.

"Caso a emenda Dante de Oliveira passe na Câmara dos Deputados e no Senado, eu não vou embora do meu país!"

Apesar da pressão popular, a Emenda foi rejeitada na Câmara dos Deputados no dia 25 de abril de 1984. Com isso, a eleição para presidente da República no ano de 1985 foi novamente indireta. O camisa 8 então, rumou para o futebol italiano, dando início ao fim da Democracia Corinthiana.

2010: Apesar de não ter levado nenhum título em 2010, o ano foi de muita festa para a Fiel Torcida por conta do Centenário Corinthiano. No dia 1º de setembro, mais de 100 mil loucos do bando lotaram o Anhangabaú para as comemorações de aniversário do Timão. Em novembro, Ronaldo Fenômeno marcou o último gol de sua carreira como profissional. De pênalti, o eterno camisa 9 fez o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Cruzeiro.

2014: Em pouco menos de um mês, a Arena Corinthians brilhou aos olhos do planeta como um dos principais palcos da Copa do Mundo FIFA Brasil 2014. Além de Brasil 3 x 1 Croácia, partida de abertura do torneio disputada em 12 de junho, o novo estádio Corinthiano recebeu outros cinco duelos. Pela Arena Corinthians, passaram também: Uruguai, Inglaterra, Holanda, Chile, Bélgica, Coréia do Sul, Argentina e Suíça. A organização, o atendimento e conforto da nova casa da Fiel marcaram os jogos emocionantes, que incluíram também uma oitavas de final (Argentina x Suíça) e uma semifinal (Argentina x Holanda), que atraíram a atenção do mundo.

A Arena Corinthians foi o segundo estádio da cidade de São Paulo a sediar jogos da Copa do Mundo FIFA. Antes do novo estádio Corinthiano, apenas o Pacaembu, em 1950, havia tido a honra de receber partidas do evento esportivo de maior audiência em todo o planeta. A Copa do Mundo de 2014 também deu à Arena Corinthians o seu recorde de público. Para o Mundial, arquibancadas provisórias foram construídas nos setores Norte e Sul. Com isso, a maior marca de torcedores foi atingida no dia 09 de julho daquele ano, quando 63.267 fãs acompanharam a semifinal entre Argentina e Holanda.

2016: Em 2016, a casa do Timão recebeu 10 jogos dos torneios de futebol masculino e feminino dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Ao todo, as partidas receberam mais de 280 mil pessoas, atraindo à Itaquera torcedores de diversos países do mundo.

Entre as partidas realizadas na Arena Corinthians, destaque para o duelo entre Brasil e Colômbia, que repetiriam o duelo das quartas de final da Copa do Mundo, realizado dois anos antes. A vitória foi fundamental na caminhada da Seleção para o inédito ouro olímpico. Além desta, os jogos entre Alemanha e Nigéria, pela semifinal do torneio masculino, e Brasil e Canadá, pela disputa da medalha de bronze no torneio feminino, atraíram grande público à Itaquera.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Corinthians