& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Danilo mostra preocupação com a situação: precisamos jogar mais

 
       
 

após derrota para o Santos, meia deixa claro que está temeroso com a má fase da equipe antes da decisão da Copa do Brasil

 
  Por:

Voz da Fiel

14/10/2018 10:17:21  
       
 
 
 
       
   Danilo mostra preocupação com a situação: precisamos jogar mais   
  Foto: Reprodução/Internet/Voz da Fiel  
       
  A derrota para o Santos por 1 a 0, neste sábado, no Pacaembu, fez com que o Corinthians chegasse a quatro jogos consecutivos sem vitórias e ligasse o sinal de alerta justamente na semana que decidirá a Copa do Brasil contra o Cruzeiro.

Ao final do clássico, o meia Danilo deixou claro sua preocupação com a equipe.

"A gente precisa dar mais, jogar mais. Temos jogadores rápidos e precisamos criar mais. Com a falta de criação fica mais difícil fazer gols. Temos uma decisão logo mais e temos que melhorar quanto a isso", disse o jogador, de 39 anos, que entrou no segundo tempo, no lugar de Emerson Sheik.
 
      
 

 
  O goleiro Walter destacou a falta de finalização e disse que o Corinthians poderia ter evitado a derrota. "Faltou arremate, mas dava para sair com um resultado melhor. Agora é trabalhar", resumiu.

Pedrinho também preferiu já adotar o discurso de esquecer a derrota para o Santos e focar na decisão contra o Cruzeiro, quarta-feira. "Levamos um gol bobo, que não podíamos levar, mas agora temos que esquecer o que aconteceu, pois temos uma decisão e não podemos deixar nada nos atrapalhar".

Com o resultado, o Corinthians se manteve com 35 pontos e, dependendo dos outros jogos, pode ficar próximo da zona de rebaixamento. No momento, porém, as atenções corintianas estarão voltadas para a Copa do Brasil. No primeiro jogo, o time de Jair Ventura perdeu por 1 a 0 para o Cruzeiro e precisa vencer por dois gols de diferença para ser campeão ou ganhar de um gol de vantagem e a decisão irá para os pênaltis.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Daniel Batista (Estadão)