& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Credora acusa Corinthians e CBF de fraude e tenta penhorar taça do Mundial

 
       
 

depois de não conseguir penhorar premiação do Corinthians, credora quer a penhora da taça do Mundial 2012

 
  Por:

Voz da Fiel

07/11/2018 19:25:45  
       
 
 
 
       
   Credora acusa Corinthians e CBF de fraude e tenta penhorar taça do Mundial   
  Foto: UOL  
       
  O Instituto Santanense de Ensino Superior, com quem o Corinthians tem uma dívida de R$ 2,5 milhões, acusa o clube e a CBF de fraude para antecipar a premiação da Copa do Brasil, e quer penhorar a taça do Mundial de Clubes de 2012, vencido pelo alvinegro. A empresa também pede na Justiça o bloqueio das contas corintianas, para saldar a dívida.

"Sem prejuízo de tais providências, a fim de viabilizar o recebimento do crédito ao qual faz jus o Exequente, considerando que as tentativas de penhora de valores pertencentes ao Executado foram todas infrutíferas, requer seja determinada a penhora da Taça do Mundial de 2012 conquistada pelo Executado e exposta no memorial do próprio clube, além da determinação de penhora online recorrente de créditos existentes em contas e/ou aplicações financeiras mantidas pelo Executado, até o limite do crédito do Exequente que, nos termos da manifestação última, perfaz o montante de R$ 2.485.952,11", diz o pedido.

A instituição de ensino executou o Corinthians para recebimento da dívida, já reconhecida pela Justiça. Para isso, pediu o bloqueio dos valores que o clube tinha a receber por ter chegado à final da Copa do Brasil. Oficiada para depositar o valor diretamente na conta da credora, a CBF respondeu no dia 23 de outubro que já tinha realizado o depósito nos cofres corintianos um dia antes, no dia 22.
 
      
 

 
  Para o Instituto Santanense, a medida configurou fraude em conluio entre Corinthians e CBF. A empresa argumenta que, no dia 22, antes da CBF realizar o depósito, diversos veículos de imprensa já tinham noticiado a ordem de penhora. Além disso, aponta que, nos autos, o alvinegro já havia dado à entidade máxima do futebol brasileiro um recibo de quitação no dia 19 de outubro, três dias antes da data na qual a CBF depositou o valor.

"É inconteste que o Executado tinha ciência do pleito formulado pelo Exequente e, assim, em conluio com a CBF buscou adiantar o recebimento do prêmio ao qual fazia jus, frustrando, assim, o cumprimento da determinação judicial de bloqueio desses valores", diz o documento acusando a fraude.

O Instituto Santanense ainda pede que todo o processo seja encaminhado ao Ministério Público, para a apuração de irregularidades. O Corinthians e a CBF ainda não foram notificados sobre a acusação, protocolada nesta quarta-feira.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Pedro Lopes (UOL)