& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Corinthians tenta emplacar falso 9 outra vez

 
       
 

Corinthians em 2018 já teve Júnior Dutra, Kazim, Roger e Jonathas como opções para ocupar o ataque

 
  Por:

Voz da Fiel

23/09/2018 09:32:51  
       
 
 
 
       
   Corinthians tenta emplacar falso 9 outra vez   
  Foto: UOL  
       
  O Corinthians se reencontra com um dilema da temporada 2018, neste domingo (23), em Itaquera. Em jogo contra o Internacional, candidato ao título brasileiro, os corintianos tentam afirmar mais uma vez a formação sem centroavante que apareceu durante vários momentos desse ano. A estratégia de Jair Ventura é uma consequência da dificuldade em se virar sem Jô, vendido em dezembro ao futebol japonês e até hoje sem um substituto convincente.

Na partida que antecede a decisão da vaga na final da Copa do Brasil contra o Flamengo, o Corinthians tenta já afirmar aquela que, a princípio, será a escalação para a partida que vale pelo menos R$ 20 milhões, prêmio ao vice-campeão. Com isso, oportunidade para o jovem Mateus Vital que tentar ser o que Rodriguinho e Romero já foram em meses recentes.

Na nova configuração ofensiva do Corinthians, Jair pensa no paraguaio como ponta direita, Vital e Jadson como meias e ainda Clayson, pela ponta esquerda. Na última sexta, o treinador explicou o que espera de seu novo titular. "É fazer o passe, ter uma organização como meia e pisar na área como meia-atacante ou mesmo atacante. Que ele e o Jadson se aproximem, pisem a área, esse é o objetivo: chegar com o maior número de jogadores possíveis", destacou.
 
      
 

 
  Por mais que Jô tenha sido o jogador de maior destaque do Corinthians em 2017, engana-se quem pensa que a ausência de um centroavante tem sido um problema grande. Nos melhores momentos da atual temporada, o time funcionou bem sem esse tipo de jogador. Desde 24 de fevereiro, quando Fábio Carille optou por Jadson e Rodriguinho e assim venceu os palmeirenses, as coisas deram certo algumas vezes. Foi com essa dupla centralizada que os corintianos conseguiram passar pelo São Paulo e pelo mesmo Palmeiras para ganhar o Paulista.

Diferentemente de Carille, o sucessor Osmar Loss só conseguiu contar com Rodriguinho por um período curto, até que ele fosse vendido ao Egito logo após a Copa do Mundo. E em momento em que não tinha centroavante à disposição durante um jogo contra o Cruzeiro, apostou em Romero ao lado de Jadson por ali. O paraguaio marcou duas vezes, o Corinthians ganhou e essa passou a ser a formação padrão para novas vitórias, agora contra Vasco e Chapecoense.

A irregularidade da era Loss, entretanto, falou mais alto e o time sem centroavante não teve vida longa. O substituto Jair Ventura, porém, já percebeu que precisa se adaptar a essa circunstância. Ainda mais depois de conquistar sua primeira vitória no cargo, domingo passado contra o Sport, após sacar Roger e desenhar uma formação com apenas jogadores mais baixos na frente para os minutos finais do confronto.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Dassler Marques (UOL)