& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

Amizade entre técnicos é trunfo do Corinthians em integração

 
       
 

Jair Ventura e Eduardo Barroca trabalharam juntos no Botafogo e são próximos fora de campo

 
  Por:

Voz da Fiel

04/10/2018 10:50:24  
       
 
 
 
       
   Amizade entre técnicos é trunfo do Corinthians em integração   
  Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians  
       
  A união dos elencos profissional e sub-20 do Corinthians na última quarta-feira não foi apenas simbólica. Ela representa mais um passo do clube na intenção de integrar cada vez mais as categorias de base com a equipe principal.

Para isso, o clube ganhou nas últimas semanas um importante trunfo: a amizade entre Jair Ventura, contratado em setembro para dirigir a equipe, e Eduardo Barroca, comandante da equipe sub-20 há quatro meses.

Eles trabalharam juntos no Botafogo, em 2016, mas desde antes cultivam uma boa relação:

– Tínhamos uma amizade antes do Botafogo. Eu trabalhava no Bahia e o recebia em Salvador quando ele ia observar algum jogo. Minha relação é próxima não só com o Jair, como também com o Emílio, assistente dele. E também com todas as pessoas que estão lá. Coelho foi meu jogador, Fabinho foi meu jogador, Osmar (Loss) é um amigo. Todos estes profissionais recebem o que a gente tem feito no sub-20. Material de vídeo, melhores momentos, destaques, comentários, observações individuais. A gente está se falando sempre para minimizar qualquer problema nessa fase final de transição – afirmou Barroca.

Recentemente, os dois treinadores estiveram ainda mais próximos, já que se hospedaram no mesmo hotel na Zona Leste de São Paulo.

– Isso facilita para tomar um café, jantar junto, trocar ideia. Apesar de todo o processo formal, como envio de relatórios e vídeos, essa informalidade ajuda – destacou o técnico dos juniores.
 
      
 

 
  A intenção do Corinthians é de que o sub-20 esteja cada vez mais próximo do profissional. O clube entende que, desta forma, os jovens se adaptam mais facilmente à equipe de "cima", e o técnico do time principal também pode conhecer melhor os garotos.

Jair Ventura também destaca o ganho motivacional gerado por essa proximidade:

– Fui treinador do sub-20 em 2012 por um ano. O que eu queria que fizessem comigo, eu faço hoje. Queria que o treinador do profissional me chamasse para estar mais próximo, sei como isso eleva a competitividade do elenco. Todo profissional que está na base quer estar no profissional, tem de ser dessa maneira, lógico que respeitando os demais. Essa integração é muito boa. Eu acompanho os meninos, recebo os jogos direto. Olhar é diferente. Sempre que tiver oportunidade, eu vou (nos jogos do sub-20). Fiz isso no Santos, gosto de estar próximo – afirmou o treinador.

Porém, Jair é cauteloso ao falar sobre o aproveitamento dos garotos na equipe principal.

– Eu costumo dizer que a base não é como fábrica de carro. "Ah, eu quero um 9". Mas a base está lançando quatro externos neste ano. O 9 talvez esteja no mirim ainda. Aí você precisa ir no mercado – ponderou.

Nos tempos de Botafogo, a integração entre Jair e Barroca gerou bons frutos, como destaca o comandante da equipe sub-20:

– Quando trabalhamos juntos, foi excelente. O ano de 2016 para o Botafogo foi bom, o clube conquistou uma vaga na Libertadores no profissional. Já no sub-20, ganhamos Campeonato Carioca, Brasileiro, Taça Guanabara e fomos à final da Copa RS. Todos esses jogadores que vimos iniciando em 2016 hoje estão no profissional do Botafogo.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Bruno Cassucci (Globo Esporte)