& vbCrLfFrase da barra de menu desktop
Logo Voz da Fiel Titulo mobile
       
 

A seleção de afrodescendentes corinthiana

 
       
 

no Dia Nacional da Consciência Negra veja a seleção de afrodescendentes corinthiana

 
  Por:

Voz da Fiel

20/11/2018 11:02:36  
       
 
 
 
       
   A seleção de afrodescendentes corinthiana   
  Foto: Corinthians  
       
  No dia 20 de novembro é celebrado o dia da Consciência Negra, ocasião dedicada à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. De origem humilde e operária, o Corinthians foi um dos clubes pioneiros, no estado de São Paulo e no Brasil, a lutar pela presença de jogadores negros no futebol em uma época onde o hoje esporte mais popular do mundo era prática exclusiva das elites brasileiras.

O primeiro negro a defender a camisa alvinegra foi Bingo, em 1919. De lá pra cá, em quase 100 anos, o Timão teve inúmeros ídolos afrodescendentes ao longo de sua vitoriosa história. Escalamos uma seleção de atletas negros que defenderam as cores do time do povo: Dida; Zé Maria, Domingos da Guia, Gil, Wladimir; Rincón, Vampeta, Marcelinho Carioca, Baltazar; Basílio e Viola.

O goleiro fez história no clube ao se tornar campeão mundial em 2000, brasileiro em 1999, Copa do Brasil em 2002 e Paulista em 1999. Na lateral direita, Zé Maria, o Super Zé, como era conhecido. Foi um dos jogadores que mais atuaram com a camisa do Timão. Ídolo da torcida pela sua raça, foi figura importante nas décadas de 70 e 80.

A dupla de zaga é formada por Domingos da Guia, que defendeu o Timão de 1944 a 1948 e disputou 116 jogos pelo clube paulista; e Gil, zagueiro que marcou história no clube ao de destacar na conquista do hexacampeonato brasileiro do Timão, em 2015. Na lateral esquerda, Wladimir, o recordista de partidas com a camisa alvinegra. Jogou na época da Democracia Corinthiana. Foi bicampeão paulista em 1982 e 1983.
 
      
 

 
  O meio de campo começa com Rincón. O colombiano conquistou a nação corinthiana com sua técnica apurada, seus passes precisos e sua incrível raça. Quando chegou ao Corinthians, Freddy Rincón era meia e foi recuado por Vanderlei Luxemburgo, terminando sua passagem como cabeça de área. Foi muito importante no bi-campeonato nacional 1998 e 1999 e no Mundial 2000. Ao lado do colombiano temos Vampeta. Volante polêmico por sua provocaçãoes ao rivais, fez história no Corinthians ao conquistar diversos títulos entre 1998 e 2003. Foi pentacampeão do mundo com a Seleção Brasileira em 2002.

Mais na frente, o Timão Marcelinho Carioca, o eterno Pé de Anjo da Fiel Torcida. Marcelinho é o jogador mais vitorioso da história do clube É um dos maiores ídolos do Corinthians. Ao seu lado, Baltazar, que ficou consagrado no Corinthians pelo apelido de "Cabecinha de Ouro", por conta de sua incrível capacidade em marcar gols de cabeça. Foram 267 gols neste estilo.

A dupla de ataque é formada por Viola e Basílio. O primeiro, atacante irreverente, foi revelado em 1988 pelo Corinthians e marcou o gol do título paulista daquele ano sobre o Guarani. Alguns anos depois, ficou marcado por marcar um gol contra o Palmeiras e imitar o mascote do clube alviverde. Já o segundo marcou, talvez, o gol mais importante da história do clube do Parque São Jorge, ao dar fim a um tabu de quase 23 anos sem títulos para o Timão, na final do Campeonato Paulista de 1977, contra a Ponte Preta.
 
      
   
 

 
 
Avaliação desta notícia vai para: Corinthians