VOZ DA FIEL

    Aqui é o lugar onde a Fíel Torcída é ouvída de verdade

       
  Seriam apenas coincidências: 1977, 1987, 1997, 2007, 2017  
       
  Após quebrar o jejum de 23 anos sem títulos paulistas em 1977, o Corinthians a cada dez anos enfrenta provações que testam a sua grandeza e a força da Fiel Torcida  
  Por: Voz da Fiel 19/10/2018 10:35:48  
       
 
 
 
    
     
  Foto: Voz da Fiel  
       
  Qual Corinthiano nascido antes de 1977 ou após esse ano da nossa redenção que não conhece a história escrita por Basílio e companhia? É claro que todos nós conhecemos e festejamos até hoje o título de 1977.

Mas o que acaba passando de forma despercebida para nós Corinthianos é que a cada uma década algum fantasma parece escapar de alguma toca sombria e vem assombrar o Corinthians e os seus torcedores.

Há exatamente dez anos, após o título de 1977, o Corinthians no Campeonato Paulista de 1987 fez uma campanha no primeiro turno de time rebaixado com 14 pontos em 19 jogos, sendo 4 vitórias; 6 empates e 9 derrotas.

     
 
 
 
    
  Após assumir o técnico Chico Forminha o Corinthians fez aquilo que todos julgavam como improvável, no segundo turno deu uma arrancada e conquistou 31 pontos em 19 jogos, sendo 13 vitórias; 5 empates e apenas uma derrota (no último jogo do turno quando o time já estava classificado).

Isso fez o time conseguir a classificação na quarta posição para as semifinais, goleando o Santos por 5 à 0 e ficando com o vice-campeonato ao perder a final para o São Paulo. Em 1987 Foi uma temporada que o clube teve sob seu comando os técnicos Basílio; Formiga e Jorge Vieira.

     
 
 
 
    
Novamente passados mais dez anos em 1997 tudo parecia ser o ano de glórias para o Corinthians com a tão festejada parceira com o Banco Excel e a contratação de jogadores de peso no cenário nacional, como os então campeões Brasileiros Túlio Maravilha e Donizete Pantera; do lateral esquerdo André Luís e do zagueiro Antônio Carlos; do volante Fred Rincón e dos atacantes Edilson e Mirandinha que se juntaram aos já craques goleiro Ronaldo e Marcelinho Carioca.

A conquista do 22º título Paulista, dentro do Morumbi em cima do São Paulo, gerou uma grande expectativa para uma campanha brilhante do Timão no Brasileirão de 1997. Infelizmente a história foi bem diferente e tudo começou a ruir para os lados do Parque São Jorge. A parceria com o Banco Excel estava balançando devido a dificuldades financeiras em que o banco estava passando; o elenco “galácticos” de jogadores não se entendia dentro e fora de campo; diversos treinadores foram sendo substituídos ao longo da temporada de 1997 (passaram pelo comando do clube Candinho; Joel Santana; Nelsinho Baptista; Wilson Coimbra).

O reflexo disso foi uma campanha desastrosa no Brasileirão de 1997 e o Corinthians correndo um sério risco de rebaixamento a apenas dois jogos para o término da competição. Assumiu então o técnico Candinho para esse desafio e após uma defesa monumental do goleiro Ronaldo (que para muitos lembrou a defesa do goleiro inglês Gordon Banks na copa de 1970) e a vitória do Timão em cima do Flamengo por 1 a 0, o Corinthians cresceu emocionalmente e também ganhou o seu último jogo fora de casa contra o Goiás por 2 a 0 e se livrou do rebaixamento ficando apenas a três pontos do primeiro time rebaixado (17ª posição: Corinthians com 29 pontos; 23ª posição: Bahia com 26 pontos).
 
      
 
 
 
 
     


Avançando mais dez anos no tempo chegamos em 2007 o ano do maior vexame da história do Sport Club Corinthians Paulista, ano em que o time foi rebaixado no campeonato Brasileiro.

Diversos fatores fizeram com que o Corinthians entrasse em um mergulho mortal rumo à segunda divisão; término da parceria conturbada com Kia Joorabchian e os seus representantes devido a acusações de máfia internacional e lavagem de dinheiro (isso nunca foi provado e em todos os processos que correram na justiça ninguém foi condenado); Impeachment e expulsão do clube do então Presidente Alberto Dualib; trocas constantes de técnicos (passaram pelo comando do clube Emerson Leão; Paulo César Carpegiani; José Augusto; Nelsinho Baptista).

Com o término da parceria o Corinthians perdeu vários jogadores de peso, estava com muitas dificuldades financeiras e com o clube enfraquecido politicamente (internamente e externamente). O Corinthians precisando muito de dinheiro acabou vendendo uma jovem revelação da base que vinha sendo o destaque principal do time, o meia atacante Wiliam hoje jogando pelo Chelsea da Inglaterra.

Com tantos problemas o Timão estava contando com a força da Fiel Torcida; a experiência do Técnico Nelsinho e do Volante Vampeta e o talento das revelações da base Dentinho e Lulinha. Após dois empates seguidos (rodadas 35ª e 36ª) o Corinthians precisava de uma vitória simples nos dois jogos restantes para se livrar do rebaixamento e essa vitória poderia ter sido conquistada no Pacaembu contra o Vasco da Gama, mas para a surpresa de todos o técnico Nelsinho deixou os jogadores mais experientes no banco e escalou um time recheado de jovens da base e como resultado o Timão perdeu o jogo por 1 a 0.

Na partida final, precisando de forma desesperada de uma vitória, o Corinthians enfrentou o Grêmio do técnico Mano Meneses em Porto Alegre e com uma escalação usando todos os jogadores mais experientes (coisa que deveria ter sido feita no jogo anterior) o resultado final da partida foi um empate por 1 a 1. Após um jogo “estranho e de compadres” entre Goiás e Internacional o Timão amargou o seu maior vexame que foi o rebaixamento para a segunda divisão.

     
 
 
 
    
Avançando por mais dez anos e chegando aos tempos atuais, em 2017 o Corinthians começa a sua temporada com muitas incertezas após o time campeão de 2015 ter sido desmanchado em 2016 e o técnico Tite ter trocado o Timão para dirigir a CBF, levando cerca de 16 profissionais do departamento de futebol junto com ele.

Por falta de dinheiro e sem muitas opções disponíveis no mercado, o Corinthians opta por efetivar o Fábio Carille no comando do time e faz apostas nas suas contratações, por exemplo, o atacante Jô que para muitos (devido a sua conduta ruim fora de campo) já estava acabado para o futebol.

O time foi apontado por muitos como a quarta força do futebol de São Paulo. Mesmo assim esse time sagrou-se campeão Paulista e Brasileiro de 2017 com uma campanha no primeiro turno ficando invicto. Muitos jogadores se valorizaram na temporada de 2017 e acabaram saindo (ou no fim da temporada ou já em 2018). Considerando os dez anos entre 2007-2017 o Corinthians se tornou o clube que mais conquistou títulos no futebol Brasileiro.

O feito conquistado por Fábio Carille e seus comandados foi tão grandioso e espetacular que teria jogado a tal “maldição dos dez anos” para a atual temporada? Vamos recordar, em 2018 o Corinthians sofreu uma crise política durante as eleições para a presidência; está com problemas financeiros que impedem a contratação ou a manutenção de bons jogadores; o clube já está no seu terceiro técnico; a sua campanha no segundo turno é de um time rebaixado e em 2018 está sendo o ano dos recordes negativos (o time já igualou o número de derrotas de 2007, 23 no total).

Faltando nove jogos para o término da competição o Corinthians tem a disputa de quatro jogos dentro da sua Arena (no total faltam 9 jogos), conseguindo essas vitórias está afastada qualquer possibilidade de rebaixamento. Resta saber se a “maldição dos dez anos” foi definitivamente quebrada em 2017 ou se ela apenas foi adiada e o tal fantasma voltou e está assombrando o Corinthians e os seus torcedores.